Um blumenauense acampado em frente ao Congresso em Brasília

12178264_10153720524000879_1760882358_n

Guilherme Ângelo de Souza, de 29 anos, está acampado na Capital Federal desde o dia 20 de outubro com um único objetivo: pressionar a abertura do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Acadêmico do curso de Ciências Políticas e profissional liberal, Guilherme participa de um acampamento em frente ao Congresso Nacional a convite do Movimento Brasil Livre, que também tem o apoio dos grupos Vem Pra Rua e o Revoltados Online.

É no Congresso onde acontece um eventual processo de impeachment. O objetivo é fazer o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), a deferir um pedido de impeachment protocolado na quarta-feira (21) por parlamentares da Oposição.

O documento trata das pedaladas fiscais de 2014, que podem causar a rejeição das contas da presidente, e traz quatro decretos assinados por Dilma em julho, agosto e setembro deste ano onde ela teria gasto R$ 820 milhões, sem autorização do Congresso. Segundo os autores, as pedaladas continuam.

Esse seria, segundo deputados da oposição, o pedido de impeachment com maior chance de prosperar. E para saber mais sobre o movimento, o Farol Blumenau realizou uma entrevista exclusiva com Guilherme. Confira:

Farol – Por qual motivo você está acampado em frente ao Congresso?
Guilherme: O motivo pelo qual eu e os Brasileiros aqui estamos é a instauração do processo de impeachment da presidente da República, que imoral, ilegal e ilegítimo se mantém no poder sangrando a nação.

Farol – Você está acampado por iniciativa própria? É o único blumenauense?
Guilherme: Vim representando o MBL de Blumenau, comigo está o coração de centenas de blumenauenses. Aqui, por enquanto, sou o único de Blumenau.

Farol – Quanto tempo o acampamento deve durar?
Guilherme: O tempo do acampamento depende das instituições republicanas deste país. Assim que acatado o pedido de impeachment, o MBL estudará se irá sair ou não. Mas a princípio, a estratégia é manter o acampamento até a queda da presidente.

12180017_10153720526000879_426313515_n

Farol – O movimento está ganhando ou perdendo adeptos? Como tem sido a adesão?
Guilherme: Hoje é o quarto dia de acampamento, a cada dia a adesão tem sido maior. Os brasileiros que por algum motivo que estão ausentes são solidários com doações e palavras de incentivo.

Farol – É sabido que a oposição no Congresso é pró-impeachment. Como tem sido a relação do movimento com os oposicionistas?
Guilherme: Estratégica. A oposição, além de protocolar o pedido de impeachment que leva em consideração o crime de responsabilidade do ano de 2015, viabilizou a presença do acampamento, tendo em vista que sem a ausência dos parlamentares no local, certamente teríamos sido expulsos.

Farol – O movimento sofreu algum tipo de repressão?
Guilherme: Alguns movimentos aparelhados pela esquerda ameaçaram de invadir e  coagir o acampamento, mas de fato nada aconteceu. A todo instante passam carros, motos e ônibus buzinado para o acampamento em apoio. Tem sido maravilhoso.

Farol – Faça suas considerações finais.
Guilherme: Quero agradecer ao Farol pela entrevista e me solidarizar com as famílias que têm sido prejudicadas com as fortes chuvas que assolam a nossa querida Blumenau e região colocando, desde já o MBL Blumenau à disposição das mesmas.

Veja um vídeo gravado por Guilherme onde ele fala mais sobre o movimento:

Um comentário

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome