Esposa do vereador Adriano Pereira também recebeu o auxílio emergencial

Vereador Adriano Pereira
Vereador Adriano Pereira

A esposa do vereador Adriano Pereira também recebeu o auxílio emergencial, destinado a pessoas que perderam a renda por conta da pandemia de Covid-19. É o segundo caso envolvendo parlamentares em Blumenau.

Após a revelação de que a esposa do vereador Oldemar Becker havia recebido R$ 1.2 mil, a reportagem confirmou que a companheira de Adriano Pereira recebeu duas parcelas de R$ 1.2 mil do benefício.

Em contato com a reportagem, Adriano afirmou que, assim que tomou conhecimento do recebimento, efetuou a devolução de R$ 2,4 mil ao Governo Federal. Foi o mesmo procedimento adotado por Becker.

O provento de vereador, de R$ R$ 11.023,65, é o impeditivo para recebimento em ambos os casos, visto que o limite de renda familiar é de R$ 3.135. Ainda é preciso ter perdido a renda por conta da pandemia de Covid-19.

As fraudes já são marca do benefício. A Controladoria Geral da União identificou que mais de 300 mil servidores públicos receberam o benefício, sendo que mais de 200 nomes foram apurados pela reportagem em Blumenau. Em caso de recebimento irregular, é preciso devolver o valor.

Confira a nota de esclarecimento de Adriano Pereira:

No último dia 23/06/2020, tomei conhecimento, assim como toda população de Blumenau, do episódio envolvendo o RECEBIMENTO INDEVIDO DO AUXÍLIO EMERGENCIAL por familiares de um parlamentar.

Obviamente achei LAMENTÁVEL e quem me conhece e acompanha minha trajetória sabe como me posiciono e o que penso a respeito destas questões.

O fato que quero aqui comunicar, é de que ao chegar em casa comentei com a minha companheira Marlei se ela tinha visto ou lido sobre o tal fato, e ela disse que sim; imediatamente ela começou a chorar, e eu, sem entender, questionei o que havia acontecido, e ela disse que havia cometido um erro muito grave, pensei, meu Deus, que erro?

Com a minha vida corrida todos os dias em prol do povo e da cidade, quase não temos tempo para conversar muito sobre muitas coisas, infelizmente, é o preço da vida pública, então pensei o que será?

Ela respondeu: “Acabei fazendo o tal cadastro referente ao tal auxílio, achando inicialmente que pela lógica, se ENQUADRAVA nos quesitos por ser MEI, cuidadora de idosos e no momento ter sido suspenso seu trabalho pela questão da pandemia e não saberia ao certo como iria ficar, se voltaria, se seria dispensada totalmente da prestação desse serviços.

Tempos atrás tinha ficado um longo período desempregada e por isso achou que talvez nem desse certo o tal cadastro, além de que tinha pessoas que lhe diziam, “você merece receber, você tem dois filhos, trabalha pra caramba”, que no caso estes são meus enteados, meus filhos de coração, que graças a Deus tem uma mãe e padastro presentes em suas vidas.

Também falavam pra ela, que tem quem não precisa, você tem visto na imprensa e receberam, tem isso e aquilo, mais foram maus conselhos, péssimos conselhos, que não justificam em nada, mas se deixou levar sem pensar nas consequências, e tudo mais, FOI UM GRAVE ERRO, pois não se enquadrava totalmente nos requisitos apenas pela questão da renda familiar obviamente, devido ao meu salário como vereador.

Citou o nosso filho mais velho que tinha perdido o emprego na ocasião em um restaurante, e também nem por isso se justificava, sem direito ao auxílio por ser ainda menor, e também pela questão da minha renda, e disse: mesmo diante de tantas coisas não devia ter feito o cadastro, pois a gente ajuda tantas pessoas, sabemos que existem pessoas realmente em maior dificuldade, e mesmo sendo talvez pesado só pra mim como vereador dar conta de tudo em alguns momentos, diferente de alguns que tem várias outras rendas, empresas, comércio, são aposentados, tínhamos que assim tocar o barco, pois também pago pensão para o meu filho, onde no total somos em cinco pessoas, enfim.

Choramos juntos e falei, poxa, isso não poderia ter acontecido, olha o que estão falando de quem cometeu esse erro, massacrando, como se errar não fosse humano, como se fosse algo sem perdão, ninguém quer saber de nada a não ser debulhar em críticas, mas nada que discutíssemos ou até brigássemos a respeito, mudaria o ERRO já cometido, ela pagou algumas contas pessoais, comprou algumas coisas em especial para os filhos, até ajudou algumas pessoas, mas foi errado, e disse na hora: “VAMOS DEVOLVER ESSES VALORES IMEDIATAMENTE”, pois cheguei afirmar, e disse pra ela que havia inclusive comentado que se isso ocorresse com alguém da minha família entre colegas de trabalho, que imediatamente teria que ser devolvido, era o mínimo, pois é o que acho correto, inclusive o que comentei sobre o caso do colega parlamentar, que teriam que devolver se era irregular, e assim foi feito, ASSIM O FIZ, CONFORME COMPROVANTE EM ANEXO, devolvido ao governo para que possa ser disponibilizado a quem se enquadra nos requisitos do auxílio, sem mais e nem menos, em todos os quisitos.

Pensei em fazer de outra forma, comprar em cestas básicas e doar, em várias possibilidades, mas poderia também ser julgado por alguns de querer fazer uso disso agora em ano eleitoral, e isso também não aprovo, por isso o CERTO FOI O QUE FIZ.

Sei que terá um grande uso político sobre esse erro contra mim, contra minha família, algo irreparável e já virão talvez alguns com todas as pedras possíveis nas mãos, já misturando questões partidárias, afinal é véspera de eleição, mas só posso pedir DESCULPAS, por mim que não fui diretamente culpado, e por ela, pois sei da minha CONSCIÊNCIA, da minha história de vida, TRAJETÓRIA até aqui, FICHA LIMPA, trabalhador e HONESTO, e não será esse episódio que mudará tudo isso!!!

É importante que ela, minha companheira, aprenda com esse grave erro, reparável, porque DEVOLVI os valores imediatamente e que sirva como lição de vida, não só para ela, mas para todos os milhões de brasileiros que agiram de tal forma, irresponsável, onde como ser humano, torço por esse aprendizado, lamentando sim os reflexos diretos em minha vida pública ilibada sem nenhuma mancha até aqui, onde infelizmente sem erros muitas vezes não se aprende a fazer o certo, e espero nunca mais ver falhas como essa, seja em minha família e em todos as demais.

Obviamente para continuar convivendo com ela terei que perdoar esse erro, e Deus nos ensina que perdoar é preciso embora seja uma das tarefas mais difíceis talvez em nossas vidas, e óbvio que esperamos que o povo embora ainda mais difícil possa fazer o mesmo, ninguém está livre de errar, de falhar, é fácil apontar o dedo mas quando fizemos isso três dedos da mão miram pra nós no mesmo instante, mas assumir é o mais importante, não negar, não passar a mão na cabeça, pois dizer EU ERREI, também não é tarefa fácil para muitos, e se eu me posiciono muitas vezes contra o que vejo de errado NÃO podíamos agora AGIR DIFERENTE ou pensar diferente, muito pelo contrário, vamos ERGUER a cabeça, CORRIGIR!

Por isso foi feita a IMEDIATA DEVOLUÇÃO sem questionar uma vírgula, e aprender, pois nessa VIDA todo dia estamos APRENDENDO, muitas vezes com quedas e fatos que nos machucam muito, destroem muitas vezes, mas atire a primeira pedra, já dizia Jesus, quem não tiver pecado. E disse mais: LEVANTA-TE E SIGA, TEUS PECADOS ESTÃO PERDOADOS, BUSQUE NÃO PECAR MAIS.

Atenciosamente
Adriano Pereira

Um comentário

  1. Gostaria de ver o recibo do depósito, porque falar que devolveu é fácil agora é bom provar e mostrar para o povo que realmente o dinheiro foi devolvido. E ainda mais deveria ter vergonha de fazer campanha nas próximas eleições porque vai levar pau

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome