Bolsonaro extingue 27,5 mil cargos efetivos do Governo Federal

O governo federal extinguiu mais de 27.500 cargos efetivos para organizar a estrutura de carreiras. Entre os cargos extintos em decreto assinado por Jair Bolsonaro na sexta-feira (20), estão o de mateiro, discotecário, técnico de móveis e esquadrias, locutor e seringueiro. Foram analisados cerca de 500 mil cargos para “identificar aqueles que não são mais condizentes com a realidade da atual força de trabalho federal”.

De acordo com o Ministério da Economia, a maior parte das atribuições dos cargos que estão sendo extintos podem ser supridas de outras maneiras, como a descentralização para outros entes da federação e a contratação indireta de serviços (terceirização).

“O objetivo é evitar contratações desnecessárias e o desperdício de recursos, pois estes são cargos obsoletos e em funções que não devem mais ser repostas”, disse o secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal, Wagner Lenhart, em nota.

Fachada do Palácio do Planalto - foto de Roberto Stuckert Filho/PR
Fachada do Palácio do Planalto – foto de Roberto Stuckert Filho/PR

Levantamento da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) mostrou que do total de cargos que serão extintos, 14.227 já estão desocupados e serão suprimidos imediatamente. Ainda existem 13.384 cargos ocupados. Neste caso, a extinção ocorrerá quando essas pessoas se aposentarem.

Esta é a terceira vez que o governo edita decretos para extinguir cargos obsoletos, diz o ministério. Em 2018, foi publicado o Decreto nº 9.262, que extinguiu mais de 60 mil cargos. Já em abril de 2019, o governo realizou outro movimento de adequação da força de trabalho, que promoveu a extinção de outros 13 mil cargos.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome