Senado aprova texto-base da reforma e mantém abono para quem ganha até dois mínimos

O Senado Federal aprovou ontem (1º), em primeiro turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) que reforma a Previdência. Às 22h51, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), proclamou o resultado: 56 votos a favor, 19 contra e nenhuma abstenção. Eram necessários 49 votos.

Apesar da aprovação, o plenário derrubou a restrição do abono salarial a quem ganha até R$ 1.364,43. Com a retirada do ponto da proposta de emenda à Constituição (PEC), a economia com a reforma cai para R$ 800,2 bilhões em dez anos.

Com a mudança, o abono salarial continuará a ser pago aos trabalhadores – com carteira assinada há pelo menos cinco anos – que recebem até dois salários mínimos. A restrição do pagamento do abono salarial geraria economia de R$ 76,2 bilhões ao governo nos próximos dez anos, segundo o Ministério da Economia.

Senadores durante discussão da Reforma da Previdência - foto de Marcos Oliveira/Agência Senado
Senadores durante discussão da Reforma da Previdência – foto de Marcos Oliveira/Agência Senado

Logo depois da derrota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre , encerrou a sessão e marcou a continuação da votação dos destaques para as 11h desta quarta-feira. A matéria deve continuar sendo apreciada e votada em segundo turno na próxima semana, para então seguir ou não para apreciação de Jair Bolsonaro.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome