São Silvestre: uma vibe emocionante

Jorge André Negherbon (Reprodução)
Negherbon (Reprodução)

Correr a prova de rua mais tradicional do país é um sonho para qualquer atleta. E para mim não era diferente! Foram anos assistindo pela televisão em dezembro e sempre sonhando: um dia vou correr a São Silvestre.

Preparação

Eis que em 2013 surgiu essa oportunidade. Treinei durante o ano visando a prova, afinal, são 15 km de corrida e não é para qualquer um. Tem que ter um bom preparo físico para aguentar as ruas de São Paulo. Ainda mais com o calor que faz no final de ano.

Dia D

Chegando o dia da corrida, a ansiedade misturada com nervosismo era evidente. Aos poucos os corredores vinham chegando de todas as partes do Brasil e de algumas partes do mundo. Lotando completamente a Avenida Paulista. Eram mais de 27 mil atletas, ali em busca de superar seus limites.

A largada, o túnel da Paulista, o mar de gente nas varias subidas e descidas, os gritos vindo das calçadas “levanta a cabeça!”, “vamos lá”, “vai rapaz, que a Paulista é tua”. Passando pelo estádio do Pacaembu, Memorial da America Latina, Praça da República, Teatro Municipal, principais pontos turísticos de São Paulo.

Tudo isso não tem preço, não tem foto, não tem camiseta nem medalha, mas nunca mais vai se apagar da memória e quando eu passar, passará comigo. Missão cumprida. A mais linda e emocionante de todas as missões. A corrida mais linda e que mais me emocionou.

Enfim posso dizer: corri a São Silvestre.

Pariticapação especial de Jorge André Negherbon

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome