Juíza sugere que vítima de crime receba amparo financeiro

A juíza catarinense Sônia Moroso Terres está liderando um projeto de lei de iniciativa popular para que o Estado dê auxílio financeiro e de saúde física e emocional para vítimas de crimes cruéis como estupros e homicídios. Segundo Sônia, a ideia é que seja criado um auxílio no mínimo proporcional ao auxílio-reclusão.

Hoje a população carcerária já passa de meio milhão de pessoas. Segundo Sônia, para cada crime, há pelo menos uma vítima, e a proposta vem justamente para amparar quem sofre com o crime. “Essas pessoas são realmente invisíveis ao Estado, nunca ninguém fez uma conta [das vítimas]. […] São pessoas que perderam filhos, marido, que sofrem ações de privação da liberdade, como assalto a mão armada que, além de ferir, traumatizam”, destacou a juíza em uma entrevista ao portal ND Online.

Sônia deseja que a Previdência Social arque com uma ajuda financeira a essas vítimas da mesma forma com o que é feito a família do preso através do auxílio-reclusão com um valor no mínimo equivalente. Já o apoio psicológico poderia ficar a cargo do município, pois, segundo ela, está mais próximo do cidadão.

O número de assinaturas já passa de 38,9 mil, mas para o projeto ser transformado em lei, serão necessárias mais de um milhão e meio de assinaturas e a aprovação na Câmara dos Deputados Federais, no Senado Federal e a sanção presidencial. Para mais informações sobre o projeto, você pode acessar o site www.soniamorosoterres.com.br

Sônia Moroso Terres (Site Oficial)
Sônia Moroso Terres (Site Oficial)
Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome