Falha técnica é a causa mais provável da queda do Airbus russo

epa05005254 Debris from crashed Russian jet lies strewn across the sand at the site of the crash in Sinai, Egypt, 31 October 2015. According to reports the Egyptian Government has dispatched more than 45 ambulances to the crash site of the Kogalymavia Metrojet Russian passenger jet, which disappeared from raider after requesting an emergency landing early 31 October, crashing in the mountainous al-Hasanah area of central Sinai. The black box has been recovered at the site. EPA/STR BEST QUALITY AVAILABLE

A empresa aérea russa Kogalymavia (também conhecida como Metrojet) confirmou que o avião A231, que caiu no sábado (31) na Península do Sinai (Egito) apresentava falhas técnicas na parte da cauda.

Representantes da Kogalymavia afirmaram que a causa da queda do avião no Egito  foi “externa”. “Ao começar a cair, o A321 sofreu prejuízos construtivos significantes”, afirmou um dos representantes.

Estas palavras foram contestadas pela agência Reuters que alega uma fonte na comissão egípcia encarregada de investigar o acidente.

A empresa Airbus irá fornecer todo o apoio técnico necessário às autoridades envolvidas na investigação de acidente do avião russo Kogalymavia no Egito, disse o comunicado publicado no site da filial russa da empresa Airbus.

Algumas horas depois da catástrofe, o presidente russo Vladimir Putin ordenou a criação de uma comissão especial para investigar as causas do acidente, chefiada pelo ministro do Transporte Maksim Sokolov.

A agência russa de transporte aéreo, Rosaviatsia, afirmou que a companhia aérea Kogalymavia será submetida a uma inspeção extraordinária.

Não há indicações de que a Airbus russo tivesse sido abatido. O avião, que seguia a rota de Sharm El-Sheikh para São Petersburgo, desapareceu do radar em 03:21 GMT, 23 minutos após a descolagem.

A declaração também é citada pelo canal de televisão RT.

Com informações da Agência Brasil

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome