Estudante da Furb é linchado por três homens

encapuzado
Ilustração

Nos últimos dias, diversas notícias de cidadãos fazendo justiça com as próprias mãos Brasil afora saíram na mídia, muitas vezes escolhendo o alvo errado. E mais rápido do que imaginávamos, essa prática chegou a Blumenau.

Na noite da quarta-feira (14), o acadêmico de Direito da Furb, Jonhn Paulo Mafra, foi covardemente atacado e espancado por três homens portando armas brancas, na rua Pastor Oswaldo Hesse, Ribeirão Fresco.

O pretexto dos agressores foi defender o bairro de um suposto “ladrão”. Os policiais foram chamados e conduziram até a delegacia o agredido e um dos agressores. Ambos assinaram termo circunstanciado.

Mafra ficou severamente ferido e terá que passar por cirurgia bucal.

Opinião: Como jornalista, cidadão e ser humano, só posso rechaçar veementemente as tentativas deploráveis de pessoas que se arvoram em juízes da sociedade, sem qualquer discernimento ou senso de justiça. Não passa de um ato de selvageria primata contra inocente que mostra a incapacidade dos que se arvoram em juízes.

Atualização: Daniel Raizer Fiamoncini, amigo de Mafram esclareceu a tomada do depoimento “na verdade a polícia acompanhou a ambulância que levou o Jonhn até o hospital, e lá sim tomou o depoimento do mesmo. Jonhn não deu seu depoimento na delegacia pois sua saúde estava extremamente debilitada.”

4 Comentários

  1. Difícil manter o bom tom diante desse tipo de comportamento… Característica de gente que sem dúvida não deveria ter o direito de conviver em sociedade. Quem participa, justifica ou até defende esse tipo de coisa deveria ser punido de maneira exemplar, sendo isolado do convívio social para o bem do restante da população. Mesmo que alguém seja comprovadamente culpado por algo, por mais hediondo que seja o crime que alguém posa cometer não e admissível que a população faça justiça com as próprias mãos. A fazer isso retornamos a um tempo de barbáries e perdemos inclusive a moral pra cobrar dos nossos representantes um comportamento decente. Mesmo que a população venha a se sentir desamparada pela segurança do estado, creio que seria mais eficiente cobrar de forma organizada dos governantes, participar das instâncias de controle social que existem como os conselhos de segurança por exemplo, além de lembrar de quem é a competência que neste caso é do governo estadual.

  2. Sou jornalista do Farol. Mas me sinto na obrigação de comentar aqui. Justiça com as próprias mãos é a pior idiotice que a sociedade brasileira já se prestou a fazer. Não tem nada que justifique, mesmo em casos que o sujeito é culpado! O que mais escancara isso é o fato de a pessoa não ter a chance de defender. A própria bíblia, nos ensina que devemos primeiro passar por um julgamento. Temos a obrigação de fazer uma campanha para as pessoas pensarem duas vezes antes de repetir esse ano, afinal um dia poderá ser qualquer outro cidadão inocente no lugar do Jonhn. Aqui registro minha revolta!

  3. Bom dia Iran, sou amigo do Jonhn e gostaria apenas de informar que na verdade a polícia acompanhou a ambulância que levou o Jonhn até o hospital, e lá sim tomou o depoimento do mesmo. Jonhn não deu seu depoimento na delegacia pois sua saúde estava extremamente debilitada. Se você quiser mais informações estou a disposição para lhe atualizar. Mas pode ser com o Daiam também. Grato por sua atenção.

    Daniel Raizer Fiamoncini.

    • Daniel, todo esclarecimento sobre este caso é importante não só para o Jonhn, seus amigos e familiares, como para toda a sociedade. Muito obrigado.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome