Brasil tem recorde de 61 mil assassinatos em 2016

Santa Catarina tem o segundo menor número de homicídios (Giovanni Silva)

O Brasil registrou 61,6 mil mortes violentas em 2016, de acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública divulgado hoje (30). O número, que contabiliza latrocínios, homicídios e lesões seguidas de morte, representa um crescimento de 3,8% em comparação com 2015, sendo o maior patamar da história.

Em média, foram contabilizados 7 assassinatos por hora. Com o crescimento do número de mortes intencionais, a taxa de homicídios no Brasil por 100 mil habitantes ficou em 29,9.

O Rio de Janeiro é o estado com maior número de vítimas (6,2 mil) e registrou o segundo maior crescimento, 24,3% em relação a 2015. Foram registrados 37,6 homicídios para cada 100 mil habitantes no estado. A maior foi, no entanto, verificada em Sergipe com 64 casos para cada grupo de 100 mil.

Santa Catarina registrou 1.038 homicídios no ano passado, contra 976 em 2015. Foram 15 mortes violentas intencionais por cada 100 mil habitantes, o segundo aumento consecutivo no número de assassinatos. Porém, o índice está apenas atrás de São Paulo, que teve 11 mortes para cada 100 mil.

Violência contra a mulher

O anuário trouxe ainda, pela primeira vez, os dados dos feminicídios e assassinatos de mulheres. Em 2015 entrou em vigor a legislação que determinou que assassinatos contra mulheres se tornassem agravante. Em 2016, foram registrados 533 casos em todo o país que tiveram este enquadramento.

Os crimes violentos contra mulheres somaram 4,6 mil casos em 2016, o que representa uma média de um assassinato a cada duas horas. Os estupros totalizaram 49,5 mil ocorrências, um crescimento de 3,5%.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome