Banda Malungo conta como foi turnê de shows em Minas Gerais

Primeiro álbum da Malungo foi lançado em 2013 e está disponível gratuitamente no site da banda (Foto: divulgação)

Pela primeira vez em sua trajetória, a banda blumenauense Malungo é chamada para se apresentar fora de Santa Catarina. Após tocarem na festa Santro Groove em São Bento do Sul, a banda recebeu um convite do produtor de eventos Viniccius KsK para uma turnê de três shows em Minas Gerais.

As apresentações ocorreram nas cidades de Uberlândia e Patos de Minas, entre os dias 10 e 12 de janeiro. Com seis anos de muita dedicação, a banda recebeu o convite com muito entusiasmo.

“É a primeira vez que respiramos outros ares fora de SC. O convite foi recebido com muito entusiasmo pela banda. Primeiro, por ser um lugar tão longe de SC e no qual admiramos muito, principalmente, por saber que de MG foram lançados grandes nomes da música brasileira. E segundo, por saber que nosso trabalho de seis anos de muita dedicação está começando a ser reconhecido”, declarou o baterista Natan Hostins.

Na terra do queijo, as apresentações da banda começaram pela cidade de Uberlândia, sexta-feira (10), na casa Vinil Cultura Bar. Nos dois dias seguintes, a banda tocou em Patos de Minas, sábado (11), no Sweet Home Rock Bar e domingo (12), no UAI Beer. Para a banda, o público de Minas Gerais se mostrou muito receptivo.

“O público de MG nos surpreendeu demais, foi ‘bão’ demais”, disse Natan. “Na primeira noite vendemos todos os CD’s que levamos, muitos não couberam porque levamos 100 kg de equipamento e instrumentos no avião. No geral, o povo de MG é muito receptivo e gente fina. Conhecemos bandas locais e o que mais nos chamou atenção é que eles falaram que lá não tem nenhuma banda do nosso estilo musical e mesmo assim a rapaziada suingou e remexeu muito em todos os shows. Sem contar na culinária de lá que é uma iguaria! Feijão tropeiro, queijo, cachaça, doce de leite”, continuou o baterista.

A Malungo

A banda Malungo surgiu em 2008 de uma união de amigos que se juntaram para fazer música sem nenhuma pretensão e sem se preocupar com estilos ou rótulos. “Desde lá, começamos a compôr e aos poucos fomos inserindo as músicas próprias no repertório. A aceitação das nossas músicas foi muito boa desde o início, primeiro por que nossas letras contam um pouco do nosso cotidiano, e várias pessoas se identificam com isso. Segundo, por que nunca nos preocuparmos em fazer algo específico, fizemos o que vem na cabeça, é música e ponto final”, disse Natan, que complementou:

“Desde o começo sempre colocamos o nosso coração na banda e sempre investimos no produto final. Seja em uma gravação de áudio, clipe, arte, esse é um dos pontos que damos muito valor. Hoje em dia o mercado está pulverizado de muitas coisas ruins, mas ainda temos muita coisa boa sendo produzida”.

Em dezembro foram convidados a participar da amostras dos 100 melhores álbuns da música brasileira de 2013. Apesar de não ter ficado entre os 100 melhores, de 662 álbuns analisados, a banda recebeu uma menção honrosa.

Batuque.Balanço.Groove

O primeiro álbum da Malungo foi lançado em 2013. Com o nome Batuque.Balanço.Groove, a banda aposta num disco conceitual. As letras, os ritmos, os gêneros musicais, a sonoridade e a arte gráfica do disco revelam os primeiros cinco anos de trajetória da banda. O álbum possui 10 faixas e está disponível para download gratuito no site bandamalungo.com.br.

No site da Malungo também está um videoclipe da música Latino-americano, faixa três do primeiro álbum da banda. O filme foi dirigido pelo cineasta blumenauense Andreas Peter. Para conferir, clique aqui.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome