Não fica um, meu irmão…

No filme Tropa de Elite 2, lançado em 2010, o personagem Diogo Fraga, deputado ativista dos direitos humanos, fala do crescimento da população carcerária do Brasil e apresenta um dado chocante: em 1996 havia 148 mil presos no país; dez anos depois esse número pulara para 400 mil. Baseado nesses números, Fraga calcula que a população carcerária dobrava em média a cada oito anos.

Comparando com o crescimento da população brasileira, que dobra a cada 50 anos, o deputado dá seu veredicto: em 2081 a população do Brasil será de 570 milhões, enquanto a população carcerária será de 510 milhões. Ou seja, 89,5% da população brasileira estará na cadeia. Evidentemente esse cálculo fantasioso tem, no filme, um propósito claro, que é chamar a atenção para a vida e as condições dos presídios.

Para causar impacto, essa projeção feita pelo personagem do Tropa de Elite é eficaz, pois é baseada num cálculo matemático. A vida porém, não é uma ciência exata e os modelos matemáticos utilizados têm se mostrado ineficazes para certas previsões. Mas para não deixar o assunto no ar, vamos aos cálculos com base no 5º Relatório Nacional Sobre os Direitos Humanos no Brasil, do Núcleo de Estudos de Violência da USP, publicado em 2012.

De acordo com o estudo, o Brasil registrou um aumento de 112% no número de detentos em 10 anos. De 2001 a 2010, a população carcerária pulou de 233 mil para 496 mil. Foi o maior crescimento mundial. A França, que teve o segundo maior crescimento na década, viu sua população carcerária crescer 43%. Itália, em seguida, registrou 23% no aumento.

cadeia-lotada-1
Cadeia do Irecê (Serrinha em foco)

Se o crescimento de 2001 a 2010 no Brasil for uma tendência nas próximas quatro décadas, numa projeção mais realista teremos mais de 10 milhões de brasileiros na cadeia em 2050. Entretanto, como a polícia não dá conta de prender, juízes mandam soltar presos a torto e a direito, inclusive psicopatas, e a fuga das cadeias é grande, continuaremos a ter mais bandidos do lado de fora que de dentro.

Recentemente descobriram mais um bando de vigaristas na prefeitura de São Paulo, e a gente sabe que, igual erva daninha, esse pessoal brota em todos os lugares, de norte a sul, de leste a oeste. Se gritar “Pega ladrão!”…

A propósito, antes da fuga do ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, para a Itália, seu advogado no caso do Mensalão, Marthius Lobato, havia se manifestado sobre as condições do presídio de Bangu 8, para onde seu cliente poderia ser mandado. Seu medo era que Pizzolato fosse misturado com bandidos de alta periculosidade. Veja só. Como se quem descaradamente mete a mão no dinheiro público não é de alta periculosidade.

Perderam a noção

Matéria divulgada no fim de outubro diz que carta encontrada num templo da Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Paulo, pede a fiéis que se passem por enfermos curados, ex-drogados e aleijados para conseguir convencer mais pessoas a contribuírem financeiramente para a aquisição de um canal de TV. O que a Igreja Mundial cobiça é o canal que transmitia a programação da MTV do Brasil em sinal aberto, e está na mira do bispo Edir Macedo.

Ou seja, essa igreja estimula os fiéis a prestarem falso testemunho. Ainda, segundo a matéria, os interessados não precisam comprovar que tiveram alguma doença. Necessitam apenas ter disponibilidade para viajar para dar seu testemunho de consagração e vitória. Igreja orientando fiéis a mentirem, é mole?

Quando se diz que o Brasil é o país do jeitinho, da malandragem, há um grande erro. No nosso país a safadeza está altamente profissionalizada há anos. Malandragem é pros fracos.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome