“Quando uma organização criminosa é atacada, reage”, afirma ministro

Governador Raimundo Colombo e ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (James Tavares/SECOM)
Governador Raimundo Colombo e ministro da Justiça
José Eduardo Cardozo (James Tavares/SECOM)

A onda de ataques a ônibus, caminhões, bases da polícia e outros órgãos públicos em Santa Catarina fez com que o governo do estado solicitasse auxílio do Ministério da Justiça, que deu início a operação “Brasil Integrado, Bravo Cidadão”.

O governador Raimundo Colombo (PSD) foi até brasília nesta terça-feira (07) para tratar do andamento da operação com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Temos um plano conjunto de enfrentamento ao crime organizado em Santa Catarina que já está dando bons resultados”, declarou Cardozo, em entrevista coletiva.

Na reunião foram traçadas estratégias, mas que por se tratar de questão de inteligência, mais detalhes não podem ser fornecidos. “Continuaremos com firmeza e determinação estas ações de segurança e a população pode confiar no trabalho que está sendo feito. Estamos prontos para o enfrentamento e não vamos baixar a guarda”, salientou o governador Colombo.

Cardozo afirmou que, se necessário, mais homens da Força Nacional serão enviados ao Estado para operações. Na semana passada, cerca de 33 agentes chegaram a Florianópolis para auxiliar nas operações da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. Outra ação foi a transferência de 21 detentos vinculados a facções criminosas para penitenciárias de outros estados.

“Quando uma organização criminosa é atacada, perde força e, principalmente, recursos financeiros, ela reage. O que o Governo de Santa Catarina fez com relação ao sistema prisional do Estado é elogiável”, argumentou Cardozo.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome