Governo Federal deve 21 milhões do Fies para a Furb

João Natel (CamaraBlu)
João Natel (CamaraBlu)

O reitor da Universidade Regional de Blumenau (Furb), João Natel Pollonio Machado, ocupou a tribuna livre da Câmara de Vereadores nesta quinta-feira (30) para prestar esclarecimentos sobre as medidas de corte de custos em virtude dos cortes do Governo Federal ao Programa de Financiamento Estudantil – FIES.

Segundo o reitor, entre as decisões Conselho Universitário estão a redução de cargos comissionados, das funções gratificadas e das atividades administrativas. Permanecem os serviços de ensino, pesquisa e extensão e as bolsas de estudos oferecidas pela Furb também serão mantidas.

“Essas decisões permitiram a universidade reduzir, a partir de agosto, R$ 800 mil por mês, mas ainda temos que buscar R$ 600 mil, considerando que a expectativa é de que não ocorrerá repasse do Ministério da Educação até o fim do ano”, explicou Natel.

O reitor lamentou os cortes feitos pelo governo, dizendo que a educação passou a ser encarada como um gasto, e não como investimento. “Em relação ao Fies temos que receber cerca de R$ 21 milhões”, informou, explicando como funciona o crédito educativo.

Natel explicou o que vem ocorrendo desde o início do ano com o repasse do crédito, culminando nessa dívida. “Os estudantes que já tinham o contrato assinado, ao renovarem no semestre seguinte começaram a ter dificuldades e, principalmente, desculpas de todas as ordens”, explicou.

Diante dessa situação, ele explicou que a Furb decidiu manter nas salas de aula os estudantes que tinham o contrato anteriormente e os novos que tinham a expectativa de ingressar também. “São 3 mil estudantes na universidade que contrataram o financiamento, o que representa 25% total”.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome