Governo anuncia acordo com entidades para suspender greve

Protesto de caminhoneiros (Fernando Frazão - Agência Brasil)
Protesto de caminhoneiros (Fernando Frazão – Agência Brasil)

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Eduardo Guardia (Fazenda) e Carlos Marun (Secretaria de Governo) anunciaram na noite desta quinta-feira (24) no Palácio do Planalto, que foi fechado acordo com entidades representantes dos caminhoneiros para suspensão dos protestos da categoria por 15 dias.

Apesar do otimismo no anúncio, fica claro que as entidades ainda precisam conversar com os caminhoneiros para aprovar ou não a proposta. A adesão ao acordo também não foi unanime entre as lideranças.

“Eles fizeram o acordo entre eles mesmos. O que eles estão falando não passa de uma piada”, declarou um caminhoneiro de Indaial, que prefere não se identificar. Nos grupos de WhatsApp os trabalhadores negam o fim da paralisação.

Veja pontos do acordo:

  • Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. Nesse período, o valor referência será de R$ 2,10 nas refinarias
  • Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em R$ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação à petrolífera.
  • A cada 30 dias, o preço do diesel será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês.
  • A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai contratar caminhoneiros autônomos para atender até 30% da demanda de frete. O governo editará uma medida provisória.
  • Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de transporte rodoviário de cargas
  • Tabela de frete será reeditada a cada três meses
  • Cide, imposto que incide sobre os combustíveis, será zerado em 2018
  • Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas
  • Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas com órgãos responsáveis
  • Entidades e governo terão reuniões periódicas a cada 15 dias
  • Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome