F1: Mais três equipes “revelam as armas” para 2015

Mercedes W06 Hybrid, apresentado com bom humor pelo time alemão em Silverstone (Mercedes)
Mercedes W06 Hybrid, apresentado com bom humor pelo time alemão em Silverstone (Mercedes)

Um fim de semana agitado na sequencia de lançamentos da F1 para 2015. Depois da McLaren e o novo MP4/30 de motor Honda, mais três equipes apresentaram quase que seguidamente os novos modelos para a temporada, que abre oficialmente em março na Australia. Vivendo momentos distintos na categoria, Mercedes, Ferrari e Sauber apresentaram as armas para o ano, marcado até agora pelos lançamentos em plataforma digital e pelas novas soluções em bicos dianteiros, muitos menos estranhas do que as do ano anterior.

Novo Mercedes mostra linhas conservadoras e um bico fino (Mercedes)
Novo Mercedes mostra linhas conservadoras e um bico fino (Mercedes)

Na defesa do incontestável título de 2014, a Mercedes revelou o W06 Hybrid ao público com muito bom humor e uma certa tranquilidade nas redes sociais da equipe. O teste final (shakedown) foi feito na pista gelada de Silverstone (ING) e, na primeira impressão, são poucas as alterações feitas no carro se comparado ao modelo anterior.

A nova Flexa de Prata tem um bico mais fino e as linhas mostram-se quase identicas as do W05. A responsabilidade de Nico Rosberg (ALE) e, especialmente, de Lewis Hamilton (ING), atual campeão, aumentou consideravelmente, já que a equipe parece ter finalmente largado o status de “promessa” e parte para uma nova fase, verdadeiramente inserida como um grande time na categoria.

Recomeço “sexy”

Nesta sexta, as portas do feudo de Maranello também foram abertas para revelar a nova “macchina rossa” com o qual a Ferrari busca retornar aos bons tempos da era Schumacher. O SF15-T, novo carro da escuderia italiana, tem uma missão complicada de início: Fazer o time voltar a vencer corridas depois de passar em branco a temporada passada, sem um único triunfo.

A primeira vista, o carro parece um modelo de 2014 com um novo bico, muito mais estiloso e longo, se comparado aos outros modelos lançados. Apesar de um certo conservadorismo nas linhas, o novo chefe do team, o italiano Maurizio Arrivabene, definiu como “sexy” o novo Ferrari. “Enzo Ferrari disse há muito tempo que o melhor carro é o carro vencedor. No ano passado, tivemos um carro feio e que não era também vencedor. Mas eu gosto do carro deste ano em termos de estética. Eu não sei nada sobre o desempenho, mas a SF15-T é realmente muito sexy”, afirmou.

O time italiano, com Maurizio Arrivabene, novo chefe do time, ao centro (Ferrari)
O time italiano, com Maurizio Arrivabene, novo chefe do time, ao centro (Ferrari)

A dupla de pilotos soma juntos cinco títulos mundiais e é a grande aposta do “cavallino rampante” para voltar ao topo. Ao lado do outrora “gelado” Kimi Raikkonen está Sebastien Vettel, que traz a Maranello a experiencia, jovialidade e um sangue novo germânico para uma equipe que, em tempos passados, já foi acostumada a ver um alemão ser multicampeão. No entanto, mesmo com dois ótimos pilotos, a Ferrari tem que provar ser um carro vencedor e competitivo, o que poderá provar efetivamente apenas na Australia, quando o SF15-T será verdadeiramente posto a prova.

Volta as origens 

Novamente tingida no azul, cor predominante entre 1996 e 2005, a Sauber engole em seco os problemas financeiros e de construção do novo carro e, no mesmo dia da eterna parceira Ferrari, apresentou ao público o C34, carro que traz, além da novidade da cor, dois toques tupiniquins. Além do piloto Felipe Nasr, estreante na categoria, o team suiço traz no reforço da verba e no carro o polpudo patrocínio do Banco do Brasil, um dos motivos para a volta do azul a equipe.

Sauber: Volta ao clássico azul para superar os problemas (Sauber)
Sauber: Volta ao clássico azul para superar os problemas (Sauber)

No entanto, antes de pensar que a situação da Sauber é até confortavel em meio ao turbilhão de crise que enfrenta, vale lembrar que o team tem a árdua tarefa de superar as desgraças de 2014 e fazer um bom ano dentro das possibilidades do carro e do time. Segundo Eric Gandelin, designer-chefe do novo bólido, três flancos principais de maior problema foram atacados: Performance em curvas de baixa, peso e estabilidade nas frenagens. “Podeumos adquirir muita experiência durante a temporada 2014, agora podemos incorpora-la ao C34”, disse.

Junto do sueco Marcus Ericsson, que pela primeira vez terá um carro “de verdade” nas mãos, o brasileiro Felipe Nasr já fala, mesmo sabedor dos problemas da equipe, em levar o time aos pontos, mesmo sabendo que, no papel de estreante, há “muito para aprender”. “Estou ansioso para trazer minha experiência de 2014 e ajudar a Sauber a voltar aos pontos”, afirmou.

Nasr: Levar Sauber de volta aos pontos é um dos objetivos para 2015 (Sauber)
Nasr: Levar Sauber de volta aos pontos é um dos objetivos para 2015 (Sauber)

Na roda de lançamentos restam ainda as apresentações das co-irmãs Red Bull e Toro Rosso. Se confirmadas as ausencias de Caterham e Marussia, serão as duas últimas equipes a mostrar novos carros para a temporada 2015.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome