sábado, 13 de agosto de 2022
13.9 C
Blumenau

Empresário liga João Pizolatti a mensaleiro

“O Janene distribuía dinheiro para políticos em sua Mansão. Dava churrasco todo sábado. Vi lá o deputado André Vargas, o ex-prefeito Barbosa Neto, a quem deu R$ 150 mil. O deputado João Pizolatti (PP) estava sempre lá” dispara Hermes Magnus, um empresário que delatou um esquema criminoso de lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef, que lavou cerca de R$ 10 bilhões em quatro anos.

José Janene (PP), citado como quem distribuía  dinheiro para políticos, foi deputado federal pelo Partido Progressista e um dos pivôs do Mensalão, tendo recebido R$ 4,1 milhões para votar conforme o desejo do governo Lula (PT). Magnus procurava investidores para aumentar a produção de sua empresa, a Dunel Ltda, quando conheceu o mensaleiro, que lhe prometeu sucesso.

Em entrevista a revista Istoé, o empresário relata que o novo sócio tinha conexões suspeitas. E conforme citação no início da reportagem Pizzolatti frequentava a casa do mensaleiro, morto em 2010.

Magnus ainda afirmou que Janene era “unha e carne” com Youssef, preso pela Polícia Federal. E em abril, Pizzolatti foi citado em uma reportagem revelou suposta relação com Youssef: o jornal Estadão noticiou que um assessor do PP no Congresso aparece em um e-mail enviado ao doleiro como beneficiário de um depósito de R$ 25 milhões. E nesse período, o líder do partido era Pizzolatti.

Farol tentou obter uma versão do parlamentar por contato telefônico e email diversas vezes, mas não obteve resposta.

(Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados)
João Pizolatti no congresso (Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados)
Redação
Redação
Acompanhe nosso trabalho diariamente.
+ notícias

Últimas notícias

- publicidade -

Mais lidas