Aumento do número de vereadores é debatido na Câmara

Representantes de duas entidades ocuparam a tribuna livre da Câmara de Blumenau na sessão desta terça-feira (25) para debater a Proposta de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 77, que aumenta o número de vereadores em Blumenau de 15 para 23 parlamentares.

A representante da Associação de Moradores da rua Hermann Lange e Transversais, Alcione Kleine, questionou a demora para votar o projeto. Novamente se manifestou contrária à iniciativa do Legislativo e pediu atenção para outras áreas. “Precisamos dar atenção para a segurança, saúde e educação”, complementou.

João Santos de Borba Filho e Alcione Kleine (Vivian Persuhn|CMB)
João Santos de Borba Filho e Alcione Kleine (Vivian Persuhn|CMB)

Alcione também afirmou que a população fiscaliza o trabalho dos parlamentares. “O povo está atento às ações do Legislativo e em sintonia com nossos direitos. Se os senhores querem mais respeito, nos deem mais ouvidos e mais atenção”, afirmou. Pediu ainda mais qualidade e não quantidade na representação.

“Venham mais ao encontro da comunidade. Já se passaram 23 sessões e até agora nada foi votado. Então eu pergunto: Por que ainda não foi votado o projeto de aumento do número de vereadores?”, questionou.

Aproveitou a oportunidade para agradecer a Associação de Moradores da rua Hermann Lange e Transversais por permitir que ela utilizasse o nome da entidade para falar na tribuna livre. “Quero deixar claro que não sou ligada a nenhuma entidade organizada, estou apenas exercendo o meu direito e dever de cidadã”, finalizou.

Já o diretor de ensino da UCE – União Catarinense dos Estudantes, João Santos de Borba Filho, destacou que a entidade tem se posicionado sobre temas importantes para a comunidade. “Sobre a questão do aumento do número de vereadores, nos posicionamos em busca de melhorias para a sociedade”. Afirmou que a eleições devem ser encaradas como uma cópia da comunidade, como um espelho dos seus habitantes.

Apontou que a entidade é a favor do aumento do número de vereadores de 15 para 23. “Aumentar o número é aumentar a representatividade do parlamento. É dar mais espaço ao povo assim como a dona Alcione. É ter suas minorias representadas”, assinalou.

Destacou a presença dos primeiros imigrantes que ocuparam a região, das diversas raças que compõem a cidade e também a vinda dos recentes estrangeiros. “Do total de habitantes, 52% é composta por mulheres. Mas não temos nenhuma nesta Câmara para representar a classe feminina”.

Com infomações da Assessoria da CMB

Um comentário

  1. Não tem espaço pra aumento de despesas. não tem espaço pra demagogia barata, tem espaço para trabalhar, fiscalizar o executivo.A representatividade é expressa pelo sistema de eleições livres. Quanto ao número não importa, importa a qualidade..O Politburo Russo tinha um representante de cada sindicato de classe, e mesmo assim cometeu as maiores atrocidades contra a população. Nós temos 510 representantes na Câmara federal, ( 20 por estado em média) e no entanto estamos neste miserê, corrupção etc etc…Vamos lutar pela qualidade destes 15 que irão nos representar na próxima legislatura. Os protestos de rua já mostram a tendência da população em não aceitar o aumento das cadeiras.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome