Com unidade em Blumenau, RR Donnelley encerra atividades no Brasil

Empresa RR Donnelley possuí unidade na Itoupava Central - foto do Google Maps
Empresa RR Donnelley possuí unidade na Itoupava Central – foto do Google Maps

A gráfica e editora RR Donnelley anunciou nesta segunda-feira (1º) o fim das atividades no Brasil por meio de autofalência. Os trabalhadores foram surpreendidos com a notícia ao chegar na unidade da Itoupava Central, em Blumenau.

Por meio de nota, a empresa alegou que considerou todas as opções, mas que decidiu encerrar as operações devido as “condições de mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil”. A empresa norte-americana possuí outras duas unidades no Brasil, sendo uma em Tamboré e outra em Osasco, estado de São Paulo, onde fica a matriz.

Cerca de 160 pessoas trabalhavam na unidade da Itoupava Central e uma assembleia será realizada amanhã pelo Sindicato dos Trabalhadores da Industria Gráfica de Blumenau e Região para discutir uma pauta de reivindicações.

Confira a nota oficial:

“A RR Donnelley Editora e Gráfica Ltda decidiu, após considerar todas as opções, encerrar sua operação no Brasil. Entre os fatores que levaram o grupo a tomar esta medida estão as atuais condições de mercado na indústria gráfica e editorial tradicional, que estão difíceis em toda parte, mas especialmente no Brasil. Recentemente, a RR Donnelley perdeu um de seus principais clientes e registrou uma drástica redução no volume de trabalho contratado.

 

O grupo operou no Brasil por mais de 25 anos. Mas, uma análise meticulosa das finanças da empresa motivou nossa decisão. O requerimento de autofalência da RRD será processado e decidido pelo foro da comarca de Osasco/SP.

 

Para minimizar o impacto da falência, a empresa entrará em contato com o sindicato e avaliará a possibilidade de rescindir todos os contratos de trabalho já nos próximos dias. Isso permitirá o pronto levantamento dos valores depositados nas contas vinculadas do FGTS e habilitará os funcionários a solicitarem o seguro-desemprego, na forma da lei.”

Um comentário

  1. Falta de incentivos, impostos abusivos, desleixo pela leitura, assim fica muito difícil uma gráfica prosseguir com suas atividades, até as livrarias já estão fechando as portas. O povo não quer saber de ler mais depois da era da internet, situação lastimável!

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome