sábado, 2 de julho de 2022
15.4 C
Blumenau

Vigilância epidemiológica usa veículo com fumacê contra o Aedes Aegypti

Os agentes de endemias da Secretaria de Saúde de Blumenau receberam nesta semana um veículo de reforço da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado para o combate ao mosquito Aedes Aegypti.

O veículo com fumacê realiza a pulverização automatizada, intensificando ações nas ruas Engenheiro Weitnauer e Maria Balbina Zimmermann, na Escola Agrícola, onde há registro de mosquitos contaminados transmitindo a doença.

Os agentes da prefeitura orientaram que as pessoas abrissem portas e janelas de residências e comércios para facilitar a ação do inseticida. O produto, segundo os biólogos não é prejudicial a humanos nem animais.

Veículo com fumacê contra a dengue - foto de Marcelo Martins
Veículo com fumacê contra a dengue – foto de Marcelo Martins

De janeiro até agora, Blumenau já registra 365 notificações de dengue. Destas, 94 são casos confirmados, sendo 13 casos importados e 81 autóctones, ou seja, contraídos na cidade. Dos 35 bairros do município, 17 são considerados infestados.

Outras ações

Desde janeiro, os agentes de endemias do município seguem fazendo a pulverização manual com Ultra Baixo Volume (UBV), popularmente conhecido como fumacê no bairro Escola Agrícola que concentra 50% dos locais de contaminação no município. Os bairros Garcia, Velha Itoupava Norte, Água Verde e Vila Nova também recebem o serviço.

Sinais e sintomas

A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

As pessoas que apresentem os sintomas da doença devem procurar atendimento nas unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) ou Ambulatório Geral (AG). A busca por atendimento em caso de suspeita permite evitar o agravamento do quadro e inclusive a evolução para o óbito.

Redação
Redação
Acompanhe nosso trabalho diariamente.