Testes da fosfoetanolamina em humanos começam

fosfoetanolamina

Os testes clínicos para tratamento de câncer com a fosfoetanolamina sintética, que ficou conhecida como “pílula do câncer”, começam nesta segunda-feira (25) em São Paulo. A pesquisa é do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp).

O início dos testes em humanos será possível após aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Ministério da Saúde. A Fundação para o Remédio Popular (Furp), laboratório oficial da Secretaria de Saúde do estado, forneceu as cápsulas suficientes da substância para realização da pesquisa.

“O projeto de pesquisa clínica foi desenhado sob a ótica de especialistas de alto conhecimento técnico. Nossa prioridade é a segurança dos pacientes, por isso, primeiro vamos avaliar, com grande responsabilidade, se a droga é segura e se há evidência de atividade. É um processo extenso, que deve ser acompanhado com cautela”, diz, em nota, o oncologista Paulo Hoff, diretor-geral do Icesp.

Segundo a Secretaria de Saúde, o pesquisador aposentado da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos Gilberto Chierice tem acompanhado todo o processo. A fosfoetanolamina sintética foi estudada por Chierice, enquanto ele ainda estava ligado ao Grupo de Química Analítica e Tecnologia de Polímeros da universidade.

“É a primeira vez na história que a fosfoetanolamina sintética será testada em humanos, por iniciativa do governo de São Paulo. O objetivo é avaliar a eficácia da substância no combate ao câncer”, informa,  em nota, a secretaria. O estudo prevê avaliação de 10 pacientes na primeira fase, para determinar a segurança da dose que vem sendo usada na comunidade.

Após a primeira etapa, caso a droga não apresente efeitos colaterais graves, a pesquisa prosseguirá.

No chamado Estágio 1, está prevista a inclusão de mais 21 pacientes para cada um dos 10 grupos de tumor: cabeça e pescoço, pulmão, mama, cólon e reto (intestino), colo uterino, próstata, melanoma, pâncreas, estômago e fígado.

Se o Icesp observar sinais de atividade da substância nessa fase, o Estágio 2 começa com mais 20 participantes em cada grupo. Progressivamente, desde que se comprove atividade relevante, a inclusão de novos pacientes continuará até atingir o máximo de mil pessoas, ou seja, 100 para cada tipo de câncer.

Com informações da EBC

3 Comentários

  1. É mesmo preciso ficar de olhos bem abertos porque todos os testes feitos até agora foram sabotados!!!E com certeza o professor Chierice está de olho pois não vai deixar q manchem sua brilhante carreira!

  2. O governador Geraldo Alckmin que tenha muito cuidado: se ele quer prosseguir na vida pública, como político promissor que até agora tem sido, que faça tudo direitinho nessa fase de pesquisas em humanos. Se posteriormente os pesquisadores, ou o próprio Dr Gilberto Chierice, vierem a público em audiência pública no Senado Federal, por exemplo, e disserem que houve irregularidades nessa pesquisa em humanos ou que ela foi uma FARÇA, como fizeram nas anteriores in vitro, ele (o governador Geraldo Alkimin) não terá futuro político e estará “enterrado” politicamente. Agora, se tudo sair nos conformes, com os pesquisadores do grupo do Dr Gilberto Chierice, ou ele próprio, vindo a público posteriormente dizendo que as pesquisas foram regulares, etc., etc., ele (o governador Geraldo Alckmin ) que se prepare para ser o próximo presidente da República. Será simplesmente imbatível.

  3. Nessa fase especificamente – esquecendo-se os encontros anteriores entre o governador e o Dr Gilberto Chierice onde o primeiro colocou, de maneira vaga e vazia, à disposição do segundo a estrutura do Estado – o grupo de pesquisadores do Dr. Gilberto Chierice está acompanhando essa fase de pesquisa ? A matéria publicada diz que sim. Vamos aguardar a manifestação do próprio Dr. Gilberto para confirmar isso.
    Vale lembrar que nas pesquisas em humanos haverá um grupo chamado de “controle” que vai receber só PLACEBO, e não a Fosfoetanolamina.
    FIQUE ATENTO !
    O pessoal do contra ainda pode melar os resultados misturando o grupo verdadeiro (que está tomando a FOSFO-s verdadeira) com o grupo de controle (o grupo do PLACEBO) a fim de dizer que a substância não funciona, etc., etc.
    FIQUEMOS ATENTOS !
    Quem sabe destas pessoas e de suas histórias não se deixa engambelar: enfermeira canadense Renè Caisse (com o seu ESSIAC); o norte-americano Henry Hoxsey, com o seu preparado herdado de seu pai; o engenheiro brasileiro Dr Sebastião Corain (com o seu Caboncellox, 1955), e o Dr Burzynski (com os seus antioblastons), este ainda lutando com o FDA, em Huston, no Texas, este último curando todos os tipos de cânceres – assim como os demais o fizeram.
    Disponíveis nas lojas do ramo, mas também constam na REDE, procure a assista a estes filmes: “CANCRO: AS CURAS PROIBIDAS” e “BURZYNSKI, o filme – O Cancer é um grande negócio.”
    Obs: clique em CC para habilitar a tradução (legendas).
    Você entenderá o que está acontecendo.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome