TEDxBlumenau

A equipe do TEDxBlumenau.
A equipe do TEDxBlumenau (Divulgação/Assessoria)

As ideias – Durante a noite de 9 de outubro, uma quinta-feira, Blumenau encheu uma das principais salas do cinema Arcoplex, no Shopping Park Europeu, com uma plateia composta por cerca de duzentas pessoas; elas não estavam ali para assistir a um dos filmes em cartaz, mas sim para acompanhar a transmissão do TEDGlobal, um evento que, enquanto escrevo, ainda acontece em frente à praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Falemos um pouco do que é o TED: embora suas conferências pareçam para nós como algo moderno, com um lema atemporal que apenas diz “ideias que valem a pena a espalhar,” e embora nossa tecnologia tenha ajudado a disseminá-lo pelo mundo, tornando-o extremamente popular entre as novas gerações, o conceito do TED (sigla que significa Tecnologia, Entretenimento e Design) é antigo, já datando de 1984, quando seu primeiro evento foi realizado.

A proposta é relativamente simples: mentes de diversas partes do mundo e de diversas opiniões sobem ao palco para falar sobre suas ideias; sejam elas quais forem; dos últimos desenvolvimentos da ciência até a discursos feministas. Já passaram pelo palco pessoas como Bill Gates, o biólogo Richard Dawkins, Andrew Solomon, a nova queridinha da literatura, Chimamanda Ngozi Adichie, a primatóloga Jane Goodall e demais palestrantes talentosos. Com dezoito minutos por discurso, cada um pode expor pensamentos que logo serão viralizados e disponibilizados a qualquer um com acesso decente à internet; novamente, a sucintez do tema surge à cabeça: “ideias que merecem ser espalhadas.”

As ideias deste ano estão sendo transmitidas, pela primeira vez, do Hemisfério Sul; mais especificamente, da cidade do Rio de Janeiro, e o que as pessoas lotando a sala de cinema em Blumenau tiveram a chance de assistir foi uma seleção das palestras mais interessantes até o momento. A citar algumas: Joanna Wheeler falou sobre o poder de se contar histórias, de como comunicação pode ajudar a acabar com a violência; Bruno Torturra, jornalista, contou sobre o nascimento da Mídia Ninja, no auge dos protestos que tomaram as ruas brasileiras do ano passado; e Miguel Nicolelis, pai do exoesqueleto que ajudou um rapaz paralítico a dar o primeiro chute da Copa do Mundo, deixou uma nota de esperança para o futuro da humanidade, onde a tecnologia poderia drasticamente aprimorar a vida daqueles em condições extraordinárias. A curadoria das palestras citadas foi feita por um grupo de voluntários que sonham em ir um pouco além de transmitir o TED pelo telão de um cinema: são pessoas que quiseram e que conseguiram trazer o evento, em sua forma independente (o chamado TEDx), para Blumenau.

As mentes por trás

Os publicitários Humberto Cardoso Filho e Guilherme Hack são os responsáveis pelo TEDxBlumenau, o evento de palestras que pretende tomar o palco do Carlos Gomes no início do ano que vem, e do qual o TEDxBlumenau Live foi apenas um aperitivo. Eles falam do esforço de trazer o TED para cá; das duas tentativas de seleção por que passaram com o comitê oficial e da terceira e última vez, na qual foram aprovados. “Conexões que quebram paradigmas” foi o tema que selecionaram para o TEDx de Blumenau, a versão mais abrangente da ideia que eles sempre quiseram expressar em seus esforços anteriores de ter o projeto aprovado. Quando pergunto sobre o que os inspirou, eles me respondem que a semente já estava planta há pelo menos quatro anos; e que algo que realmente os incentivou a querer concretizar seus planos foi (não ironicamente) o TED talk “How to start a movement.”

“Acreditamos em movimentos que mudam a sociedade, mas que também mudam a pessoa,” diz Hack.

Falo de como de Blumenau é naturalmente fechada. Pergunto que espécie de impacto eles prevêem que um evento como o TEDx teria aqui.

“Queríamos quebrar o paradigma de Blumenau tem um povo fechado,” diz Cardoso, mas conclui que é difícil mensurar ainda que espécie de repercussão o TEDxBlumenau terá.

“Acreditamos que o impacto será gerado pelas pessoas que vão ver e pelos vídeos que serão disponibilizados,” Hack acrescenta, e menciona o que muito dos palestrantes dos TEDs costumam mencionar, a chama interna, a necessidade de se espalhar ideias. “Realmente, Blumenau tem uma mentalidade mais fechada, mas acredito que é esse tipo de iniciativa, entre tantas outras, que vá contribuir para a diversidade,” segue Hack.

Eu falo de legado. O que esperam eles? Humberto responde: “O primeiro legado do evento é a própria marca, que deixará a possibilidade de novos TEDx.”

Eles fazem questão de esclarecer que, ainda que a ideia inicial tenha brotado de suas cabeças, o TEDxBlumenau é algo que não existiria sem a equipe de 28 voluntários, que se esforçam diariamente para que o evento aconteça. “Queremos ressaltar que não estamos fazendo isso sozinho,” diz Cardoso. “E que não conseguiríamos isso sem o resto da equipe.” Entre os voluntários, está a professora Cynthia Hansen, que assumiu o cargo de gerente do evento. Ela explica como procede a a organização: “O grupo foi dividido em times de acordo com suas competências, cada time é responsável por alguma questão fundamental, como, por exemplo, a produção executiva, o comercial e a curadoria, de speakers e attendees, entre outros.”

Pergunto a Hack e a Cardoso como foi a escolha dos speakers, as 16 pessoas que se apresentarão no palco. Eles me dizem que convidaram aqueles cujo trabalho já conheciam, mas que queriam também uma seleção democrática, aberta a novas ideias. O resultado foi um grupo diverso. “Quando montamos a equipe pela primeira vez, chegamos a uma lista de 150 nomes. Queríamos saber quais eram as ideias que queriam compartilhar, quais as conexões que quebravam seus paradigmas,” diz Cardoso. O resultado da seleção vem sido apresentado aos poucos na página oficial do TEDxBlumenau, a ocorrer em 1 de fevereiro de 2015, e inscrições para plateia já estão abertas. As vagas são limitadas.

“É um evento que acontecerá sozinho, que terá sua marca própria,” diz Hack, que espera que o TEDx inspire a cidade a promover mais projetos do tipo.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome