Reforma propõe 65 e 62 anos como idades mínimas para aposentadoria

O presidente Jair Bolsonaro, chega ao Congresso Nacional, acompanhado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e Senado, Davi Alcolumbre, para levar o projeto do governo de reforma da Previdência.
O presidente Jair Bolsonaro, chega ao Congresso Nacional, acompanhado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e Senado, Davi Alcolumbre, para levar o projeto do governo de reforma da Previdência.

O presidente Jair Bolsonaro apresentou nesta quarta-feira (20) na Câmara dos Deputados a proposta de reforma da previdência. Entre os pontos está a aposentadoria integral aos 40 anos e idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres.

Para se aposentar com 100% da média do salário de contribuição será preciso trabalhar por 40 anos. A nova fórmula de cálculo do benefício substituirá o fator previdenciário, usado atualmente no cálculo das aposentadorias.

Pelas novas regras, o trabalhador com 20 anos de contribuição começará recebendo 60% da média das contribuições, com a proporção subindo dois pontos percentuais a cada ano até atingir 100% com 40 anos de contribuição. Caso o empregado trabalhe por mais de 40 anos, receberá mais de 100% do salário de benefício.

Também está na proposta a idade mínima de aposentadoria aos 65 para homens e 62 para mulheres, sendo que haverá um período de transição de 12 anos. Além disso, os beneficiários terão de contribuir por, no mínimo, 20 anos.

A reforma da Previdência abrange os trabalhadores do setor privado, que estão no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), e os servidores públicos. Uma reforma da previdência dos militares será entregue em até 30 dias.

Com as medidas propostas, o governo quer economizar R$ 1,16 trilhão em dez anos, valor que representa cerca de 1/3 do déficit somente do INSS (sistema público que atende aos trabalhadores do setor privado) previsto para o período, que deve somar R$ 3,1 trilhões no mesmo período.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome