Recursos para a Via Expressa estão garantidos

A deputada estadual Ana Paula Lima (PT) divulgou em seu site no dia 6 de Feveiro uma informação decepcionante para o Blumenau: os recursos do prolongamento da SC-108, a Via Expressa, até a Vila Itoupava teriam sido cortados. A obra é muito esperada para desafogar um gargalo na região norte.

Ela foi além e disse que a suposta ação do Goverdo do Estado “mostra todo seu o descaso com os blumenauenses”. A petista chegou a sugerir uma Moção que posteriormente foi aprovada para que o Governo do Estado destinasse os recursos para a obra. A informação gerou muita polêmica.

Via Expressa (Jaime Batista)

A reportagem do Farol Blumenau apurou as informações e traz um contraponto: segundo o Secretário de Comunicação do Governo do Estado de Santa Catarina, Nelson Santiago, os recursos necessários para a obra estão garantidos.

Recursos existem

A critica da deputada teve base no corte de recursos de um financiamento. Mas na verdade isso foi uma manobra do Governo por conta da suspensão do processo de licitação do processo que durou quase um ano. O financiamento original foi simplesmente direcionado a outras obras.

Segundo Santiago, o financiamento da obra será garantido através do Banco do Brasil, um valor total de R$ 151 milhões. O custo da Via Expressa é de R$ 140 milhões. Já estão disponíveis R$ 35 milhões para o início da obra. O restante será liberado durante os trabalhos

Burocracia

Em Março de 2011 foi lançado o aviso de licitação do projeto. A abertura ficaria marcada para 10 de Abril do mesmo ano. Mas dez dias antes o Tribunal de Contas do Estado suspendeu o processo. Em Janeiro de 2012 finalmente foi aberto os envelopes: o consórcio Esse/Iguatemi no valor de R$ 1.6 milhão.

Depois do projeto estar pronto aconteceu em Dezembro de 2013 o aviso de licitação. No começo de 2014 foi realizada a abertura do envelope onde a Infrasul e Cetenco participaram da concorrência. Agora estão sendo analisados os documentos de habilitação.

2 Comentários

  1. A Deputada cumpriu com o seu papel de parlamentar; o governo cumpre com parte do ser dever fornecendo explicações e agora a Deputada (bem como a comunidade alertada pela Deputada) estarão atentos e vigilantes para que os próximos passos para a concretização da obra sejam dados.

    • O que a Deputada Ana Paula Lima denunciou foi a retirada dos recursos previstos na obra para o prolongamento da via expressa no orçamento estadual. De 49 milhões ficaram apenas 200 mil. Para a obra iniciar o Estado terá que repor esse orçamento. O financiamento do Banco do Brasil , assim como o BNDS, foi aprovado na ALESC. O Secretário de Comunicação tem que explicar o porque da retirada dos recursos da obra no orçamento estadual. É isso que a deputada está cobrando e exigindo: um decreto ou portaria do governador repondo os recursos no orçamento.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome