RBS demite 130 profissionais e barra entrada de sindicalistas

O Grupo RBS demitiu 130 profissionais na última semana. A decisão foi anunciada por Eduardo Sitrosky Melzer,  presidente executivo da RBS. Ele disse que a empresa precisa de “desapego para deixar de fazer coisas que não agregam e investir no que pode nos fazer crescer”.

A desastrosa declaração gerou protestos por vários grupos e sindicatos de imprensa. A Associação de Imprensa do Médio Vale do Itajaí (Assimvi) afirmou que “lamenta a demissão” e que “se solidariza com os colegas demitidos”. A nota vai além: “entendemos que uma demissão em massa é uma prática discriminatória e abusiva e causa prejuízos à sociedade. Também repudiamos a nota oficial emitida pelo presidente da RBS, revelando a insensibilidade social da direção do principal grupo de comunicação do Sul do país.”

A posição da Assimvi reflete a posição da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina, que também manifestaram repúdio em suas notas oficiais.

Sindicalistas (Fenaj)
Sindicalistas (Fenaj)

Sindicalistas são barrados

O presidente da Fenaj, Celso Schröder, e dirigentes do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina foram impedidos de entrar na redação do Diário Catarinense, em Florianópolis, na quinta-feira (7). Segundo nota, eles se dirigiam até o local para “se solidarizar com os jornalistas devido ao processo de demissões em massa”.

De acordo com a Convenção Coletiva, os dirigentes sindicais livre acesso dos dirigentes sindicais aos locais de trabalho dos jornalistas. O assessor jurídico da RBS, Ary dos Santos, argumentou que “esta convenção não vale nada. É posição da empresa, vocês não entram, e ponto”.

“[Essa] prática antissindical que vai ser denunciada internacionalmente”, afirmou Schröder. Segundo ele, a Fenaj encaminhou denúncias contra o processo de demissão à representação da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Brasília, ao Ministério do Trabalho e Emprego e à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Um comentário

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome