Pedro Parente pede demissão da presidência da Petrobras

Presidente da Petrobras, Pedro Parente (FGV)
Presidente da Petrobras, Pedro Parente (FGV)

Pedro Parente, presidente da Petrobras, pediu demissão na manhã desta sexta-feira (1º) após a em caráter “irrevogável e irretratável”. O pedido ocorre após a greve dos caminhoneiros abalar o Brasil por mais de uma semana devido aos preços dos combustíveis.

De acordo com comunicado da estatal, enviado ao mercado, a nomeação de um CEO interino será examinada ao longo do dia pelo Conselho de Administração. Ainda de acordo com o comunicado, a diretoria executiva da companhia não sofrerá alteração. Pedro Parente ficou no comando da Petrobras por exatos dois anos.

Em uma carta enviada ao presidente Michel Temer, com quem se reuniu na manhã desta sexta, Parente diz que a greve dos caminhoneiros e “suas graves consequências para a vida do país” desencadearam um debate “intenso e por vezes emocional” sobre as origens da crise. A política de preços adotada em sua gestão foi colocada sobre questionamento.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome