No fundo do Vale – A dura realidade de clubes do interior

Quando tudo parecia dar certo para o XV de Indaial após o título da Terceirona Catarinense em 2009, o anonimato bateu às portas do Gigante do Vale e a equipe se viu com vários problemas na atual temporada, como a desunião e a falta de interesse de alguns integrantes do clube além do baixo número de torcedores nos jogos, como já foi mencionado aqui. Vendo esta triste história, lembrei-me do nosso glorioso Atlético Alto Vale, de Rio do Sul, que teve grande destaque no cenário Catarinense entre meados dos anos 90 e início dos anos 2000.

Alfredão lotado em jogo do Atlético Alto Vale

Atlético Alto Vale

Em 1968 foi fundado o Juventus Atlético Clube (Campeão Sul-Brasileiro em 1969, Vice-Campeão Catarinense em 1973 e 1976) e, posteriormente, o Rio do Sul Esporte Clube, porém com a desativação de ambos, tempos depois nascia o Atlético Alto Vale, que recebeu esse nome em 21 de Outubro de 1995 após uma parceria com o Atlético Paranaense (que foi campeão da Série B do Campeonato Brasileiro naquele ano), passando a usar as mesmas cores do rubro-negro paranaense e teve seu escudo também baseado no clube de Curitiba.

O time de Rio do Sul mandava seus jogos no estádio Alfredo João Krieck, com capacidade para sete mil pessoas e que possuía um dos melhores gramados do futebol catarinense na época. Na estreia, a nova equipe Riosulense foi derrotada pelo Avaí por 1 a 0 jogando em casa no dia 11 de Novembro de 1995. Em 1996, após uma excelente campanha, o Tucano do Vale faturou a segundona do Campeonato Catarinense e subiu para a elite do estado.

No ano 2000, viria a maior conquista do Atlético, sendo campeão do returno do Campeonato Catarinense da primeira divisão, perdendo para o Joinville (que seria o campeão daquele ano) nas semifinais, jogando no Alfredão. No ano de 2003, a equipe fez uma péssima campanha no Catarinense e, após seis anos na elite, foi rebaixada para a segundona. No dia 1º de Março de 2003, o Atlético enfrentou o Tiradentes de Tijucas no estádio Dr. Hercílio Luz, em Itajaí e perdeu por 3 a 2, em jogo válido pela 10ª e última rodada da 1ª Fase do Grupo B do Catarinão de 2003.

Dos 10 jogos, o Atlético venceu apenas três e perdeu os outros sete, marcando 11 gols e sofrendo 22; selando assim seu rebaixamento juntamente com o Tubarão. Com o descenso, o time foi desativado, deixando o estádio Alfredo João Krieck vazio e o Alto Vale órfão de mais uma equipe profissional. Alguns torcedores têm compartilhado a hashtag #VoltaAtlético nas redes sociais em simbolização à reativação do clube e também criaram uma página no Facebook trazendo notícias e curiosidades. Estratégias a mais de relembrar nosso Tucanão! (Ainda bem que ainda temos o Atlético de Ibirama representando o Alto Vale no estadual).

Mesma história

Renascendo das cinzas após o Atlético Alto Vale, o XV de Indaial parece estar entrando no mesmo caminho. A diferença é que o Tucano do Vale teve seu futebol completamente desativado e o Quinzão, se consumado, irá encerrar apenas as atividades no futebol profissional, no entanto, não nos faltam exemplos de clubes que fecharam as portas ou pediram licenciamentos à FCF para “organizarem-se”. Recentemente tivemos a volta do Blumenau Esporte Clube, o BEC, que voltou a trazer um pouco mais de brilho ao futebol do Vale. Quem sabe isso seja uma questão de tempo até que tudo se ajeite? Bom! Isso só o próprio tempo dirá.

Com informações e fotos do blog Clube Atlético Alto Vale
Por Emerson Lima

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome