Níveis portentosos de corrupção

Empenhado em difundir a revolução socialista proletária Lula deixou intacto os velhos males do Brasil, além de criar outros. Tal como a Nigéria, o Brasil apresenta o dramático contraste de um Estado rico, com altos índices de corrupção, enquanto a maioria da população permanece em níveis inadmissíveis de desemprego. O desperdício de recursos milionários do petróleo, por obra de um estado que se comportou como péssimo administrador e gerente incapaz de gerir com acerto tanto riqueza, mostra-se agora mais patente e escandaloso do que nunca.

A deterioração do nível de vida nas classes média e baixa pode ser notada por qualquer pessoa que tenha conhecido o Brasil antes de Lula e hoje, passados 13 anos de governo socialista e observe a paisagem social do país. A essa realidade somam-se outras igualmente catastróficas: os serviços deficientes em hospitais públicos, a insegurança, com um índice jamais visto de crimes e roubos, o fechamento de milhares de dezenas de empresas e o índice recorde de 9,5 milhões de desempregados.

COMERCIANTES INFORMAIS: 9,5 milhões de trabalhadores não conseguem recolocação  no mercado formal com carteira assinada. Demissões no mercado, tornam o artesanato  uma fonte de renda duvidosa. Formalidade que não gera riqueza e seguridade.
COMERCIANTES INFORMAIS: 9,5 milhões de trabalhadores não conseguem recolocação
no mercado formal com carteira assinada. Demissões no mercado, tornam o artesanato
uma fonte de renda duvidosa. Formalidade que não gera riqueza e seguridade.

SALÃO DE BELEZA

Lula se parece hoje com um excêntrico milionário, que fora de casa, se permite toda espécie de extravagância, enquanto brasileiros comem o pão que o diabo amassou. Delírios oposicionistas? Mentiras do imperialismo? Intriga de capitalistas, inimigos da revolução petista? Tudo isso pode ser alegado pelos servidores do regime petista ou pelo próprio ex-presidente com sua linguagem chula, salpicada de ditos e imprecações de forte colorido folclórico.

Mas os números estão ai para comprovar. Se não vejamos: Inflação de 10,67% ao ano (2015). Taxa de desemprego de 9,5% (03/2016) segundo o IBGE, o que representa 9,5 milhões de pessoas sem emprego, índice que cresce sem alguma perspectiva de mudança. Nem mesmo esse salão de beleza, com seu setor de maquiagem, em que foi transformado o IBGE consegue dissimular essa realidade espantosa. Em vez de criar fontes de trabalho, fomentando o investimento que gera emprego, ao longo de 13 anos, dedicou-se a acabar com elas.

A desorganização, a corrupção e a inépcia de Dilma mantiveram o caos. Dinheiro manipulado sem controle de ninguém, uma significativa parcela da justiça politizada, demagogia e um lulismo composto por oportunistas produziram no Brasil níveis portentosos de corrupção.

Como é próprio da natureza, o populismo gira sempre em torno das palavras, do jogo retórico revolucionário e de efeitos midiáticos, mas nunca chega a resolver os problemas típicos do subdesenvolvimento e da pobreza. Pelo contrário, as incrementa. Para ocultar sua incapacidade no terreno vital da produção e da economia, fabrica inimigos para lançar sobre eles a culpa de todos os males do Brasil.

Um comentário

  1. O pt (em minúsculo mesmo) é o que de pior aconteceu na vida política brasileira.
    Sem o pt (em minúsculo mesmo), as páginas criminais dos jornais nesses treza anos, seriam infinitamente mais pobres. Tão pobres como ficou o povo brasileiro, financeira e moralmente.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome