Mais derrotas amargas, porém, todavia, contudo

Se a gente colocar toda a nossa vida em uma balança e medir tudo (colocando os prós e os contras em sacos de arroz) a gente vai se espantar ao ver como ela é curta. Mas isso todo mundo já sabe: basta piscar os olhos aos vinte a tantos anos para logo estarmos nos quarenta e tantos anos, porém nós iremos perceber também que na nossa breve passagem pelo hospício colorido chamado terra, que existem mais do que frustrações do que alegrias, mais expectativas não concretizadas do que sonhos comemorados. No geral, mais derrocadas amargas do que doces vitórias.

A vida
Vida..

A vida é assim, feita de derrotas que fazem nos conhecermos melhores (e também conhecer nosso lado mais feio). Viver não é fácil, e é para os fortes (provavelmente se você esta lendo este texto e respirando é um sobrevivente), esperanças não são cumpridas, sonhos não são realizados e pessoas são decepcionadas a todo dia, a toda hora, porém, todavia, contudo, são as derrotas que nos fazem mais fortes, nos impedem de nos tornarmos narcistas eufóricos ou donos da absoluta e pura verdade (tem gente que ainda se acha dono delas, mas eles seriam muito piores se não fossem as derrotas) e estas amargas, muitas vezes amargadas pelas nossas vaidades, nos fazem evoluir.

Elas são o principal motivo dos choros debaixo da agua gelada do chuveiro, e são inevitáveis, provavelmente vão nos acompanhar em maior parte do tempo da nossa vida e em maior número do que as vitórias comemoradas alegremente pelo Facebook . Então, para a própria sanidade humana, e para doer menos, vamos aceitar as derrotas? Vamos começar a perceber que com todo mundo é assim e vai continuar sendo assim. E o mais importante (ou não, dependendo da pessoa) vamos tentar aprender com os nossos tropeços? Nem que seja um pouquinho?

Formado em Direito, escreveu os livros 'Federalismo Brasileiro' e 'Sede de Liberdade'. Escreve sobre reflexos do cotidiano.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome