Juiz autoriza venda da Teka de Blumenau

O juiz da 2º Vara Cível de Blumenau, Osmar Tomazoni, autorizou a alienação do parque fabril da Tecelagem Kuehnrich (Teka) de Blumenau. O valor mínimo é de R$ 69 milhões. O imóvel será locado pela Savoy Imobiliária à Teka pelo período pré-determinado de dez anos, prorrogáveis por mais dez anos, indeterminadamente. R$ 8 milhões servirão para regularizar dos salários, atrasados há dois meses, R$ 4 milhões para comissão de corretagem e os R$ 35 milhões restantes para capital de giro.

A empresa terá que quitar uma dívida renegociada de R$ 22 milhões que tem com a agência de fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), pois já havia penhorado o imóvel (a dívida era de R$ 39 milhões). Esse credor receberá seu crédito passando por cima do plano de recuperação judicial. Esse acordo entre a empresa e a agência foi criticado pelo administrador judicial, Anderson Onildo Socreppa, porque privilegia o banco.

Porém todas as partes envolvidas acreditam que essa é a melhor saída para a crise. Sobre o alto valor que a corretagem vai receber, o juiz disse “a tabela em vigor prevê uma comissão de 6% a 8% quando se tratar de imóvel industrial, como no caso”. O percentual da corretagem será 6%.

Os empregados estão dois meses sem receber salário e neste mês foram entregues cestas básicas no dia do pagamento. Quem decide pedir a conta não tem seu crédito trabalhista quitado. “Todos temos dificuldades financeiras, porém estamos esperançosos. Quanto às contas, acabamos dando um jeito”, disse uma funcionária que não quis se identificar. O passivo total da empresa passa de R$ 750 milhões. Em 2012 teve lucro por contabilizar impostos a recuperar, porém antes disso fechou no negativo desde 2003.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome