Indaial não merece um clube profissional

Os últimos dias do futebol profissional em Indaial estão sendo melancólicos. O XV de Indaial, único time de destaque da cidade, conquistou o título da Terceira Divisão Catarinense de 2009 logo na sua estreia na elite. No ano seguinte foi ao quadrangular final e não subiu para a série A por detalhes. Mas a realidade agora é outra, em 60 anos de história o clube amarga sua maior derrota: o anonimato.

rp_1420_659650504064972_1001290683_n.jpg
XV de Indaial em data desconhecida

Saudades

A Sociedade Desportiva XV de Outubro foi fundada em 15 de outubro de 1960. Antigamente o futebol era paixão. Terra da seleção mais vitoriosa do planeta, o Brasil tem milhares de times e ligas, profissionais e amadoras.

Uma das virtudes do XV é revelar jogadores, um deles foi Leandro Damião (Internacional de Porto Alegre). Saudades desse tempo que não volta mais, a moda agora é torcer por times que estão a centenas de quilômetros. Essa é a realidade de vários clubes pequenos: agora o futebol é apenas um produto.

Estrutura

A categoria de base tem mais de 160 alunos. A equipe conta com uma estrutura razoável, a melhor da cidade. O Estádio Gigante do Vale ocasionalmente é utilizado por clubes grandes, como o Brusque e Metropolitano. O rubro anil se destaca por bater de frente com agremiações tradicionais com uma folha salarial que não é nem um pouco parecida com o seu singelo orçamento.

A culpa é de quem?

Com a desunião e a falta de interesse de integrantes do clube, o time foi sendo esquecido pela torcida e pelos empresários. A mídia indaialense esqueceu que tinha um clube profissional em baixo de seu nariz, isso só fez a situação piorar. É importante frisar existem empresas que estão com o XV: Supermercado Indaial, CFC das Nações, Pintinho Portas e Janelas, Máquinas Jandt e Gráfica Grandei.

E a torcida? ela abandonou o time nos últimos jogos. A média de público é de 20 pagantes, e sem torcida não existe clube. O XV de Indaial foi deixado a mínguas pela própria torcida. Mas esse é só mais um dos vários os problemas que cercam a bancarrota do futebol rubro anil. O técnico Josélio Kresch me disse em uma oportunidade “Não posso carregar sozinho o futebol de Indaial”.

Despedida

A única esperança para o clube é que a torcida, os empresários e a diretoria do clube não deixem apagar as luzes dos gramados do glorioso Gigante do Vale. Se a sociedade se mobilizar poderemos modificar essa situação. No próximo domingo, 30, acontece o último jogo profissional. Esse é o ultimo suspiro, e eu pergunto: AONDE ESTÁ VOCÊ, QUINZISTA?

 

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome