Governo pede economia de água e energia

Dilma e a ministra do Izabella Teixeira (Wilson Dias/ABr)
Dilma e a ministra Izabella Teixeira (Wilson Dias/ABr)

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, considera “sensível” e “preocupante” o cenário de abastecimento de água no país. Apesar da perspectiva de chuva para os próximos dez dias, o diagnóstico é de que nunca se viu nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais uma seca tão grande nos últimos 84 anos, disse ela depois de reunião no Palácio do Planalto, com outros ministros, para discutir a situação dos reservatórios de água e as previsões de chuva.

Como resposta à situação, o governo prometeu fazer mais parcerias com os estados e criar uma campanha de conscientização para que a população passe a poupar água. Izabella defendeu o acompanhamento da crise até o fim do período de chuvas, mas adiantou que seu Ministério vai criar uma ação mais “incisiva”, pedindo a colaboração das pessoas.

“Estamos acompanhando e monitorando. É um momento em que temos um problema sensível, complexo, e precisamos da colaboração de todos. Todos têm de saber poupar água, poupar energia”, destacou.

Segundo ela, existe “uma sinalização de perspectiva de chuvas”, mas, obviamente, tem que ver se isso vai acontecer de fato, qual o volume de água armazenado, e se isso pode melhorar ou não os níveis de abastecimento.

O governo também vai apoiar estados e municípios, e acompanhar suas demandas. “Estamos apoiando o financiamento. Pode ter medidas emergenciais, por exemplo, como mudança de pontos de captação [de água] em rios para poder assegurar o abastecimento”, finalizou.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome