F1: Rosberg erra no fim e carimba tri de Hamilton nos EUA

(Getty Images)
(Getty Images)

Chuva com chuva, furacão chegando, treinos cancelados, brigas improváveis, acidentes e uma decisão em um simples lance. Enfim, a temporada de 2015 da F1 confirmou o que já era lógica desde o início da temporada. Lewis Hamilton, prodigio ingles da Mercedes, sagrou-se (enfim) tricampeão da categoria na tarde nublada de domingo último (25/10) em Austin, Texas (EUA), naquela que foi a mais emocionante corrida da temporada.

O inglês, que trocou o conforto da McLaren em fins de 2012 para ser a nova estrela na história da flecha prateada, teve uma temporada irretocável e, simplesmente, esperava apenas o carimbo para ser campeão mundial. Coisa que aconteceu no domingo diante de corajosos torcedores que ousaram acompanhar a corrida diante do tempo frio e nublado no deserto. E não saíram decepcionado, ainda mais que puderam presenciar a história sendo escrita. Afinal, Lewis é agora o único britânico a ser campeão duas vezes consecutivas. Algo que nomes celebrados como Jackie Stewart, Jim Clark ou Graham Hill conseguiram.

Na largada, Hamilton pula por dentro incisivamente em Rosberg. Mas primeiras voltas seriam marcadas pelo duelo com as Red Bull (Reprodução)
Na largada, Hamilton pula por dentro incisivamente em Rosberg. Mas primeiras voltas seriam marcadas pelo duelo com as Red Bull (Reprodução)

Mas a corrida para o titulo teve todos os ingredientes para não termos um campeão em Austin. Largando em segundo, Hamilton foi com tudo para cima do companheiro, Nico Rosberg, pole-position depois de um complicado treino embaixo de chuva. Valeu até um modesto toque logo na primeira curva depois da largada.

No entanto, o que parecia uma prova fácil para a Mercedes acabou virado guerra aberta contra a Red Bull nas primeiras voltas. Mesmo diante das incerteas que a equipe vive para 2016, Daniel Riccardo e Daniil Kvyat foram a forra e protagonizaram alguns dos momentos mais emocionantes do início da prova, com Riccardo protagonizando uma linda ultrapassagem sobre Hamilton e liderando a prova.

Só que, depois de um fim de semana maluco, nada poderia parar por ai. As trocas de pneus foram determinantes e, com a pista mais seca, a Mercedes recuperou a vantagem. No entanto, era Rosberg o lider do trem e tinha tudo para fazer valer a performance nos treinos.

Rosberg festeja a pole, mas acabaria o dia emburrado e derrotado por um erro tosco (Price / XPB Images)
Rosberg festeja a pole, mas acabaria o dia emburrado e derrotado por um erro tosco (Price / XPB Images)

Calado e recuperando posições, outro alemão ameaçava a ponta dos carros prateados. Era Sebastian Vettel, que discretamente galgava posições com a Ferrari e, com uma troca a mais que as Mercedes, tinha chances reais de vencer a prova. No entanto, num safety-car nas últimas voltas, por conta de uma escapada e acidente de Daniil Kvyat, Hamilton equiparou-se em equipamento a Vettel com uma parada e, logo, Mercedes e Ferrari estavam iguais novamente. Rosberg ainda estava a frente, com Hamilton em segundo e Vettel, que parou no mesmo safety-car, em terceiro. Esta combinação de resultados ainda não dava o tri a Hamilton. Eu disse bem, não dava…

Faltando muitas poucas voltas para o fim, Rosberg mandava na prova e tinha a vitória na mão, o que estragava a festa do companheiro de equipe. Mas uma escapada infantil de Nico em uma das curvas de Austin entregou de bandeja a vitória a Hamilton, que não teve mais nada a fazer senão correr para o abraço. Era o fim, com o carimbo de Rosberg.

Não foi o lance que esperava-se de uma decisão de um titulo tão morno, apesar de histórico. Mas Hamilton não tinha como escapar os lances felizes do destino. No pódio, a alegria de um emocionado Hamilton contrastava com a decepção de Rosberg, de cara amarrada e evidentemente decepcionado não apenas pelo erro bisonho, mas por toda uma temporada submissa e covarde diante do companheiro.

Nasr salva um pontinho para o Brasil, McLaren galga o sexto posto

Para os brasileiros, não foi a corrida perfeita. Bem longe disso. Com tantas emoções na prova o sumiço de Felipe Massa e Felipe Nasr nem foi sentido pelos que acompanhavam a prova. Massa mesmo teve a pior das atuações da temporada.

Felipe largava em sétimo, uma posição razoavelmente boa com toda a chuva dos treinos, mas sofreu toda a sorte de infortúnios com a Williams, rodando na largada e abandonando com problemas na suspensão voltas depois. Sem prejuízos internos, já que o companheiro de casa, Valtteri Bottas, teve o mesmo destino, a garagem dos boxes do time de Grove.

Nasr teve toda sorte em problemas, mas terminou premiado com dois pontinhos no 400º GP da Sauber na F1 (Motorsport)
Nasr teve toda sorte em problemas, mas terminou premiado com dois pontinhos no 400º GP da Sauber na F1 (Motorsport)

Ao menos, para não sair no zero, o Brasil ainda contou com a persistência de Felipe Nasr diante de um Sauber sem acerto e com vários problemas de aderencia. Alias, a aderencia foi um complicador para o brasiliense, que largou no fim do grid. Contando com algumas bolas divididas e abandonos, Nasr foi longe e conseguiu um bom nono lugar, no resumo da ópera. Um prêmio para tantos problemas sentidos.

No entanto, entre tantas bolas divididas e lances de emoção, a McLaren foi uma das grandes surpresas da prova. Mesmo com tantas bolas divididas, os bólidos de Working andaram bem e permitiram, em dado momento da prova, vermos Fernando Alonso e Jenson Button, respectivamente, em quinto e sexto. No final, apenas Button segurou o sexto lugar, já que Alonso não suportou a pressão dos demais pilotos, mesmo estando apenas ele com uma versão nova do motor Honda.

McLaren surpreendeu e arrecadou bons pontos com o sexto de Button. Alonso também foi bem, mas ficou para trás no final (Batchelor / XPB Images)
McLaren surpreendeu e arrecadou bons pontos com o sexto de Button. Alonso também foi bem, mas ficou para trás no final (Batchelor / XPB Images)

Os 10 mais – Corrida

1 Lewis Hamilton (Mercedes)
2 – Nico Rosberg (Mercedes)
3 – Sebastian Vettel (Ferrari)
4 – Max Verstappen (Toro Rosso-Renault)
5 – Sergio Perez (Force India-Mercedes)
6 – Jenson Button (McLaren-Honda)
7 – Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso-Renault)
8 – Pastor Maldonado (Lotus-Mercedes)
9 – Felipe Nasr (Sauber-Ferrari)
10 – Daniel Riccardo (Red Bull-Renault)
ABN – Felipe Massa (Williams-Mercedes / Suspensão)

Os 6 mais – Campeonato

1 – Lewis Hamilton (327 – Campeão)
2 – Sebastian Vettel (251)
3 – Nico Rosberg (247)
4 – Kimi Raikkonen (123)
5 – Valtteri Bottas (111)
6 – Felipe Massa (109)
13 – Felipe Nasr (27)

O próximo encontro da F1 ainda é na América do Norte, desta vez na renovada pista de Hermanos Rodriguez, na volta do México ao calendário da categoria.

E não pense que o “campeonato acabou”, todos os detalhes você acompanha aqui no FAROL.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome