F1: equipes divulgam carros para 2015

O novo Williams FW37. Esperança para voltar as vitórias (Williams/Globo.com)
O novo Williams FW37. Esperança para voltar as vitórias (Williams/Globo.com)

A F1 começa a revelar as novidades para a temporada de 2015. Nesta semana, duas equipes sairam a frente e apresentaram os novos carros para o campeonato, que abre os trabalhos em março com o GP da Australia, em Melbourne. Williams e Force India, ambas equipadas com motor Mercedes, foram as primeiras a divulgar os novos carros.

Vinda de um ano de renascimento e na busca para voltar a ser a mesma potência dos anos 80 e 90, a Williams divulgou imagens do FW37 nesta última quarta-feira (21/1), por meio do site oficial do team. Além de resolver falhas aerodinâmicas do carro do ano passado, o modelo deste ano enquadra-se nas novas regras para acabar com as ditas “soluções feias” das equipes.

Novo modelo mantém motor Mercedes e busca evitar as "soluções feias" vetadas pelo regulamento desde ano (Williams/Globo.com)
Novo modelo mantém motor Mercedes e busca evitar as “soluções feias” vetadas pelo regulamento desde ano (Williams/Globo.com)

O próprio diretor técnico da Williams, Pat Symonds, admitiu em entrevista a agência Reuters que o novo regulamento troxe uma “dor de cabeça” aos projetistas da equipe por conta da combinação “aerodinâmica x beleza”. Segundo ele, “a nova geometria da frente e do bico tiveram um impacto bem maior do que esperávamos inicialmente, e o efeito da aerodinâmica foi profundo (…) a equipe trabalhou duro para recuperar a diferença que estes regulamentos tiveram para nós”.

A frente da McLaren e da Ferrari na última temporada, a Williams conta também com a força do potente e fiável motor Mercedes V6, o mesmo que equipou a equipe de fábrica, campeã de pilotos (Lewis Hamilton) e construtures em 2014. Sem maiores alterações no regulamento, a expectativa é de ver os pilotos do team, o brasileiro Felipe Massa e o finlandes Valtteri Bottas, na briga por vitórias, coisa que não vem desde 2012, quando Pastor Maldonado levou o time de Grove a vitória no GP da Espanha.

Seguir evoluindo

Apresentação do no carro da Force India foi no México. Ao lado do carro (esq-dir) Hulkenberg (ALE) e Perez (MEX), os pilotos da equipe para 2015 (James Moy Photography-Divulgação)
Apresentação do no carro da Force India foi no México. Ao lado do carro (esq-dir) Hulkenberg (ALE) e Perez (MEX), os pilotos da equipe para 2015 (James Moy Photography-Divulgação)

No mesmo dia, em evento promovido em um museu da Cidade do México, a Force India apresentou o novo carro para a temporada. O VMJ08 é também empurrado pelo potente motor Mercedes V6 e a esperança da equipe de Vijay Mallya é de continuar a constante evolução que vem promovendo nas últimas temporadas, onde os carros do team andaram sempre entre os primeiros e marcaram pontos importantes e alguns pódiums.

O VMJ08: Linhas elegantes para continuar evoluindo (James Moy Photography-Divulgação)
O VMJ08: Linhas elegantes para continuar evoluindo (James Moy Photography-Divulgação)

O que chama a atenção do novo modelo são as linhas, apontadas como “elegantes” pela equipe. “É outra evolução do visual comtemporâneo que introduzimos no último ano, o que reflete o crescimento do time e as marcas globais que a gente está trabalhando”, definiu o chefe da equipe, o indiano Vijay Mallya. O desenho do carro também atende as regras da FIA para evitar as “soluções feias”, como o curioso bico do carro da própria Force India na temporada de 2014.

Fundada em 2008, entre os vários espólios da antiga Jordan, a Force India é uma das equpes que mais tem crescido nos últimos anos na categoria. A evolução do time tem se devido, em boa parte, ao uso do motor Mercedes, adotado pela equipe desde 2009. A dupla de pilotos segue sendo a mesma de 2014, com o mexicano Sergio Perez e o alemão Nico Hulkenberg.

Sem Alemanha?

Uma das grandes dúvidas do início de 2015, no entanto, não está nas equipes, mas no calendário. O chefe da F1, Bernie Ecclestone, não sabe ainda onde será organizado o GP da Alemanha deste ano. No ano passado, foi estabelecido um esquema de revezamento entre os autódromos de Hockenhein (que sediou a prova em 2014) e Nurburgring, que deveria receber o GP neste ano, segundo o calendário divulgado no fim do ano passado.

O principal complicador da permanencia da prova germanica seria a falta de meios para arcar com a organização da prova. Mesmo com um passado vitorioso na categoria, grandes nomes no automobilismo e na construção de monopostos e com 11 titulos de pilotos (sete com Michael Schumacher e quatro com Sebastien Vettel), o público da prova do ano passado foi um fracasso, o que colocou a etapa em xeque para as autoridades de automobilismo alemãs e para os donos do autódromo.

F1 na Alemanha. Falta de acerto com proprietários de Nurbugring (foto) pode retirar a prova do calendário pela primeira vez desde 1960 (Planetf1.com)
F1 na Alemanha. Falta de acerto com proprietários de Nurbugring (foto) pode retirar a prova do calendário pela primeira vez desde 1960 (Planetf1.com)

Na última quarta-feira (21), Ecclestone se reuniu com os proprietários da pista de Nurburgring, mas até o momento nenhum detalhe mais foi divulgado na grande imprensa. O dono da categoria, apesar de bem humorado, ainda da como incerta a prova em solo alemão e aponta um motivo forte para isto. ““Honestamente, eu não sei, isto me surpreende. Talvez seja um pouco porque o povo alemão ficou muito desgastado por apoiar Michael Schumacher e então perde-lo quando não estava correndo mais”, afirmou.

A carta na manga de Bernie, por enquanto, é o GP da Áustria, que seria o mais próximo para que os fãs germânicos possam assistir. Se o impasse continuar, a Alemanha pode ficar de fora do calendário pela primeira vez em 55 anos.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome