F1: Em crise financeira, Sauber paralisa construção do carro

Dificuldades financeiras da Sauber tem origem no desenvolvimento do carro de 2014 (foto)(Reprodução)
Dificuldades financeiras da Sauber tem origem no desenvolvimento do carro de 2014 (foto)(Reprodução)

Paralisado. Este é o status em que se encontra a construção do C34, novo modelo da Sauber para 2015. Em situação financeira complicada, a equipe do brasileiro Felipe Nasr, que estreia na F1 neste ano, vive um momento de desgraça quando problemas financeiros e de falta de material impedem o desenvolvimento do novo modelo e dão a entender que a temporada desde ano poderá ser mais um vexatório espetáculo, como o visto em 2014, quando fez a pior temporada da sua história de 22 anos.

Desde 1993 na F1, Peter Sauber vive o pior momento na categoria (F1 Fansite)
Desde 1993 na F1, Peter Sauber vive o pior momento na categoria (F1 Fansite)

A coleção de dívidas do time de Peter Sauber começou ainda em 2014, quando os investimentos da equipe em melhorias desesperadoras para motor e aerodinâmica mostraram-se um fragoroso fracasso. Somando-se a falta de um patrocinador forte, a conta aumentou tanto que os patrocínios da dupla de pilotos – Nasr e o sueco Marcus Ericsson – e a premiação pelo 10º lugar no Mundial de Construtores foi diretamente para o pagamento de dívidas.

Os problemas da Sauber só não são maiores por conta do entendimento entre a equipe suíça e a Ferrari, parceira de longa data especialmente no fornecimento de motores (do ano anterior, como sempre). Para se ter uma ideia, a escuderia de Maranello troca o uso do túnel de vento dos suíços por um “deixa pra la” na dívida dos engenhos cedidos a equipe em 2014. A misericórdia aumenta neste ano, quando a Ferrari anunciou que cederá motores simplesmente “a troco de nada”, apenas para a Sauber continuar existindo.

Problemas internos na Sauber colocam em risco a temporada de estréia de Felipe Nasr (Folha)
Problemas internos na Sauber colocam em risco a temporada de estréia de Felipe Nasr (Folha)

É neste cenário, aguardando a vinda de um mecenas disposto a injetar dinheiro nas contas, com um carro feito pela metade e com o temor de ser a pior equipe do ano (atrás até de Marussia e Caterham) a Sauber espera ao menos colocar o carro na pista nas sessões de testes da pré-temporada em Jerez, na Espanha, de 1 a 4 de fevereiro. O que, para o mais otimista dos críticos, é praticamente impossível.

 

Atualização:

Apesar dos problemas financeiros e de construção do C34, a Sauber anunciou que lançará o novo modelo via internet nesta sexta-feira (30/1), as 13h (horário de Brasilia). No mesmo comunicado, a equipe suíça informou também que irá colocar o novo carro na pista já na primeira sessão da pré-temporada, em Jerez, com início no dia 1 de fevereiro.

A Ferrari, parceira do time de Peter Sauber, também fará o lançamento do SF15T, novo carro da escuderia, pela internet no mesmo dia 30. Além das duas equipes, a McLaren também usará a plataforma online para lançar o MP4/30, com transmissão do evento diretamente da fábrica do team em Working (ING). A equipe inglesa apresenta o novo carro, um dos mais aguardados da temporada, nesta quinta-feira (29/1).

 

Rapidinhas:

– Renault tem a esperança de reduzir, ao menos pela metade, a diferença gritante com relação a Mercedes em 2015. E ja pensa “alto” , espera vencer ao menos cinco corridas neste ano.

– Os organizadores do GP do México, que retorna a categoria em novembro depois de 23 anos de ausência, anunciaram que as obras de reforma do autódromo Hermanos Rodriguez estão dentro do cronograma programado. Entre as outras frentes de trabalho por todo o circuito está o asfaltamento da pista, previso para ser iniciado em março. O trio Nigel Mansell (1º, Williams-Renault), Riccardo Patrese (2º, Williams-Renault) e Michael Schumacher (3º, Benetton-Ford) foi o ultimo a subir ao pódio da prova mexicana, em 1992.

Mansell (meio), Patrese (esq) e Schumacher (dir). O último pódio do GP do México, em 1992 (Huffington Post)
Mansell (meio), Patrese (esq) e Schumacher (dir). O último pódio do GP do México, em 1992 (Huffington Post)

– O ex-piloto francês Phillipe Streiff, em ligação direta com o presidente da FIA, Jean Todt, pediu desculpas pelas declarações violentas contra a entidade, feitas por conta dos resultados que apontaram o próprio Jules Bianchi como responsável pelo acidente que afastou o jovem piloto da Marussia das pistas, no GP do Japão do ano passado. A Federação havia ameaçado processar Streiff por conta das declarações “rudes e difamatórias”.

– A equipe Haas iniciou na fabrica da Dallara, na Itália, os trabalhos de estudo e construção do novo time que estreará na F1 em 2016. Comandada pelo americano Gene Haas, a nova escuderia já adquiriu parte do maquinário usado pela Marussia e terá como motor o Ferrari V6.

Um comentário

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome