Era de você de quem Paulo Guedes falou

Um filme de boa qualidade necessita ser revisto para captarmos toda a sua contribuição para o cinema. Pelos mesmos motivos, um filme de péssima qualidade também necessita ser revisto. Em um país onde o bizarro está na presidência da república, barbaridades e canalhices são emitidas diariamente e são normalizadas pelas instituições. Acredite, a corrupção moral do atual governo não é normal. Dessa forma, é necessário rever as canalhices sem normaliza-las ou retira-las o seu significado assombroso.

Paulo Guedes denunciou que estava acontecendo uma festa na Disney. Com dólar barato, as empregadas domésticas faziam festas na terra do pateta. Primeiramente vamos concordar com o Ministro, é claro que muitas empregadas domésticas conseguiram ascensão social e, com seus próprios esforços, foram à Disney, exemplos não faltam. Mas de forma geral, será que a maioria das empregadas domésticas conseguiram fazer tal feito? Segundo dados do IPEA, a primeira década do século 21 foi marcada por uma expansão da classe média no Brasil. Uma das causas foi o fluxo de profissionais domésticos para outros setores. De acordo com a matéria, os profissionais que continuaram ganhando até um salário mínimo, caso dos trabalhadores domésticos, ficaram de fora do “boom” econômico.

Ministro da Economia Paulo Guedes - foto de Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Ministro da Economia Paulo Guedes – foto de Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Então fica a pergunta, de quem Paulo Guedes estava falando? Acredito que Paulo Guedes estava falando de você, de mim. Ele estava falando de nós que ganhamos mais de dois salários mínimos e fomos beneficiados pela expansão da classe média. Éramos nós que conseguimos andar de avião pelos lugares e fazíamos uma festa danada com dólar acessível. Não nos enganemos, eles não querem os pobres e muito menos a classe média dividindo espaço no avião com eles. O dólar alto continua subindo mesmo com ação do Banco central. A escalada vai aumentar o preço dos alimentos, mas eles não vão sentir, a compra deles no supermercado continua a mesma.

Assim, mais uma canalhice foi proferida, mas não merece ser esquecida. Aliás, achei curioso o pedido de desculpas do ministro. Ele afirmou que “a mãe de seu pai também era empregada doméstica”. Eu confesso que me confundi, a mãe de seu pai? Por que não falou logo que era sua avó? Freud explica.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome