quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023
28.1 C
Blumenau

28 de Novembro – Dia do Soldado Desconhecido

O Monumento Nacional aos Mortos da II Guerra Mundial foi idealizado pelo Marechal João Baptista Mascarenhas de Moraes, Comandante da Força Expedicionária Brasileira (FEB), que não mediu esforços e dedicação em trazer de volta à Pátria os heróis imolados nos Campos de Batalha da Itália.

Assim, no ano de 1960, partiu para Pistóia, na Itália, uma Comissão com a incumbência de proceder à exumação dos 462 corpos existentes no Cemitério Brasileiro ali localizado e prepará-los para o translado para o Brasil, que ocorreu no mesmo ano.

Em solenidade, as urnas foram levadas para o Monumento e colocadas nos respectivos jazigos do Mausoléu. Uma das urnas de mortos não identificados passou a simbolizar o “Soldado Desconhecido” e foi entregue pelo Comandante da FEB, Marechal Mascarenhas de Moraes, ao então Presidente da República, Juscelino Kubitschek, que a depositou na base do Pórtico Monumental, onde se encontra até hoje.

CHAI ( VIDA)

A Estrela de Davi está instalada no Mausoléu do subsolo que abriga os túmulos de 467 soldados que tombaram na Itália em 1944/45, e os nomes gravados no mármore de mais de 1400 civis e militares desaparecidos no mar, em consequência da blitz submarina que atingiu 33 navios mercantes nacionais. Apenas em agosto de 1942 seis navios foram torpedeados em quatro dias, desaparecendo no mar 600 patrícios inocentes, quando diante do clamor popular, em 31 de agosto de 1942 o Governo Vargas reconheceu o estado de beligerância com as Potências do Eixo.

42 combatentes brasileiros judeus participaram da Segunda Guerra Mundial. Heróis, agraciados com medalhas como a Silver Star do Exército Americano e a Cruz de Combate de 1a. Classe, concedidas apenas em casos de bravura excepcional em combate.

Dos 42 combatentes brasileiros judeus 30 eram do Exército (26 na FEB), 4 da Marinha, 3 da FAB e 5 da Marinha Mercante. Em geral brasileiros natos de primeira geração, seus pais e avós eram imigrantes de países como Marrocos, Polônia, Turquia e Rússia. (Fonte: Israel Blajberg).

Sérgio Campregher
Sérgio Campregher
Sérgio Campregher é historiador pela Uniasselvi/Fameblu e fala sobre política nacional e internacional e curiosidades. Escreve de Blumenau.
+ notícias

Últimas notícias

- publicidade -

Mais lidas