Décio e Peninha ajudaram a livrar Dilma do crime de responsabilidade

Peninha-e-Décio2
Décio Lima e Rogério Peninha (Gabriela Korossy/Lucio Bernardo Jr – Câmara dos Deputados)

O Congresso Nacional aprovou na madrugada desta quinta-feira (05) o texto base da mudança no cálculo do superavit (PLN 36/14), após uma sessão de 19 horas ininterruptas. Mas, perto das 5h da manhã, faltou quórum para votação da última emenda.

A proposta permite abater do cálculo da meta de superávit primário a totalidade das desonerações tributárias feitas pelo governo e dos investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento. Em suma a matéria vai livrar a presidente Dilma Rousseff de crime de responsabilidade fiscal, já que o governo não vai cumprir a poupança para pagamentos da dívida.

Os deputados catarinenses Celso Maldaner (PMDB), Décio Lima (PT), Francisco de Assis (PT), Jorginho Mello (PR), Luci Choinacki (PT), Onofre Santo Agostini (PSD), Rogério Peninha Mendonça (PMDB) e Ronaldo Benedet (PMDB) e o senador Casildo Maldaner (PMDB) foram favoráveis a PLN 36.

Já o gravataense Edinho Bez contrariou a ordem do próprio partido, o PMDB, e votou contra a proposta. Não estavam presentes Esperidião Amin (PP), João Pizzolatti (PP), João Rodrigues (PSD), Jorge Boeira (PP), Marco Tebaldi (PSDB), Mauro Mariani (PMDB) e Paulo Bornhausen (PSB).

Nós nadamos, nadamos e chegamos ao nosso objetivo. Falta a votação de um único destaque que facilmente vamos fazer na terça-feira“, disse o líder do governo, deputado Henrique Fontana (PT-RS). Já o principal nome da oposição, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), destacou: “Os senhores que votarem a favor desta mudança valem R$ 748 mil. Esta é uma violência jamais vista nesta Casa“.

O mineiro se referia a um valor adicional nas emendas parlamentares no valor de R$ 748 mil que estavam condicionadas à aprovação da PLN.

(Observação: os deputados em negrito representam o Vale do Itajaí).

2 Comentários

  1. Estes nobres cavalheiros cometeram o crime de responsabilidade fiscal, ja que são cúmplices da Presidente da República> Muda-se a lei pra livrar o criminoso..E todos os outros mandatários que foram processados pelo mesmo crime da presidente, agora poderão, e com justiça, reivindicar a desoneração de seus crimes , e solicitar uma justa indenização. Quanta irresponsabilidade deste nobres!!!! ou diria o MACACO: foi so uma negociação “politica”. Não importa que é o foi o presidente, o que nao se pode permitir é que sistematicamente se adeque as leis aos interesses criminosos…

  2. Olá

    Não podemos deixar sem resposta as aleivosias sobre o assunto colocados na midia. Charge do Cao e face.

    Como tenho entrado sempre, sugiro que alguém (Élton?) assine carta ao SANTA criticando a charge do CAO e outrem (alexandre?) entre no face.

    sugestão:

    Não há nenhum problema no superávit. FHC também alterou meta de superávit em 2001. O previsto era de 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB), o correspondente a R$ 32,3 bilhões. Naquele mesmo ano o governo federal alterou a meta para R$ 28,1 bilhões, o equivalente a 2,25% do PIB.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome