Confirmada terceira morte por Zika em adultos

Diversas ações estão sendo feitas no país para combater focos de proliferação do aedes aegypti, vetor da zika (José Cruz/Agência Brasil)
Diversas ações estão sendo feitas no país para combater focos de proliferação do aedes aegypti, vetor da zika (José Cruz/Agência Brasil).

O Ministério da Saúde confirmou hoje (11) a terceira morte provocada pelo vírus Zika em adultos no Brasil. O caso ocorreu em abril de 2015, mas os resultados dos exames saíram só agora. A paciente tinha 20 anos e morava no Rio Grande do Norte.

A primeira morte foi confirmada pelo Instituto Evandro Chagas em novembro de 2015. O homem de 35 anos morava em São Luís no Maranhão e tinha histórico de lúpus, tratamento contínuo com corticosteroides, artrite reumatoide e alcoolismo.

O segundo caso de morte, também confirmado em novembro de 2015, foi de uma paciente que morreu em outubro no Pará. A adolescente de 16 anos, após a infecção pelo Zika, desenvolveu quadro de púrpura trombocitopênica e hemorragias.

A maioria dos casos de morte por vírus Zika ocorreu em bebês com microcefalia. De acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, no total, foram notificadas 76 mortes após o parto ou durante a gestação. Há 56 casos ainda em investigação e cinco foram descartados.

O ministério já confirmou 404 casos de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central, dos quais 17 estão relacionados ao vírus Zika. Foram descartados 709 casos e 3.670 casos suspeitos de microcefalia em todo o país estão sendo investigados, o que representa 76,7% das notificações.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome