Bolsonaro diz que não distribuirá armas, mas que ‘fará valer’ referendo

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) cobrou na quarta-feira (24) nas redes sociais uma retratação de todos os que, segundo ele, irresponsavelmente e sem provas, culparam apoiadores de sua candidatura por pichações e ”agressões” nazistas.

O candidato apresentou matéria jornalística com um laudo da Polícia Civil do Rio Grande do Sul esclarecendo o caso da jovem com cortes em forma de suástica. Segundo o documento, ela teria se auto-lesionado ou permitido que os cortes.

Em transmissão ao vivo em sua página no Facebook, o candidato também rebateu o que chamou de mentiras difundidas pela candidatura de Fernando Haddad (PT) como a que iria distribuir armas para a população.

O candidato afirmou apenas que “faria valer” o referendo de 2005, quando 63% da população votou por não proibir a comercialização de armas de fogo e munição no país. Bolsonaro alegou que facilitaria a posse de arma com critérios definidos, fazendo questão de diferenciar a posse de porte de arma.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome