As produções culturais marginalizadas

No coração de cada país, há sua cultura e com ela existe a produção artística de seu povo. A cultura no sentido antropológico dado por Lévi-Strauss, é uma maneira de representar o mundo e de entendê-lo. Dessa forma, constatamos que um país pode ser identificado pelo momento em que vive através de sua cultura e de suas produções artísticas. Já é de conhecimento geral que o Brasil vive uma persistente crise de identidade, já faz muito tempo que o país verde e amarelo se mostra confuso sobre os seus caminhos e sobre os seus objetivos, não é de hoje que há flertes com ideologias extremadas. Percebe-se, que a saída do fundo do poço é pela cultura e pelas produções artísticas nascentes nos trópicos tupiniquins.

De acordo com Zygmunt Bauman, a cultura critica as realidades instantâneas e explora os meios alternativos de estar no mundo, de acordo com o autor, ela se torna uma ferramenta mais de mudança do que de conservação. Dessa forma, se explica o fato da produção cultural contemporânea causar tanto espanto no Brasil. Percebe-se que o país vive a falta de uma consistência cultural, as produções culturais apresentadas em teatros, galerias de artes e em demais espaços estão sendo fortemente marginalizadas e rotuladas como imorais. Muitas vezes censuradas em atos de cortejos permanentes com a retirada da liberdade de expressão.

Constata-se que a cultura do Brasil está em um abismo sem investimentos, sem prestígios e com pouca liberdade. Verifica-se que é a produção cultural que forma um país. O abismo é tão grande, que Chico Buarque virou um simples comunista por aqueles que nunca escutaram ou leram suas obras; a semana de arte moderna de 1922 talvez seria proibida nos dias de hoje.

Chico Buarque
Chico Buarque

O Brasil precisa retomar sua vida, e a cultura pode ser um dos meios de retomada de crescimento, de cessão da violência e de democratização da educação. É necessário levar elementos culturais reflexivos para lugares periféricos para transformar cidadãos em agentes transformadores.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome