Após rejeição da denúncia contra Temer, governo prioriza reforma da Previdência

Um dia após a Câmara Federal rejeitar a denúncia contra Michel Temer, os ministros da área econômica, Dyogo Oliveira, do Planejamento, e Henrique Meirelles, da Fazenda, se reuniram com o deputados aliados. Foram discutidas as futuras medidas econômicas que devem ser apreciadas no Congresso, especialmente a reforma da Previdência.

Apesar do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ter defendido uma reforma mais enxuta, o ministro da Fazenda defende o projeto como foi aprovado na Comissão Especial. Para votar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) são necessários 308 votos, 57 a mais do que o governo conseguiu ontem.

Ministros e lideranças do governo evitam falar em datas para votação da reforma. Antes, eles devem negociar os termos da proposta.

Receba notícias do Farol em seu WhatsApp

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome