8 de Maio de 1945 – Dia da vitória

Mausoléu da Força Expedicionária Brasileira (FEB) no Rio de Janeiro
Mausoléu da Força Expedicionária Brasileira (FEB) no Rio de Janeiro

Rendição Mensal da Guarda – Nessa oportunidade, a Força Armada que, durante todo um mês, prestou honras militares junto ao Túmulo do Soldado Desconhecido e guardou o recinto do Monumento, mantendo a ordem e a sua segurança, é substituída por outra, num rodízio entre a Marinha, Exército e a Aeronáutica.

SOLDADO DESCONHECIDO E A ESTRELA DE DAVI

Idealizado pelo Comandante da Força Expedicionária Brasileira, Marechal João Baptista Mascarenhas de Moraes, com projeto dos arquitetos Marcos Konder Netto e Helio Ribas Marinho, o Monumento foi inaugurado em 1960. O marechal Oswaldo Cordeiro de Farias (que integrara a FEB como Comandante da Artilharia Divisionária) foi o responsável pelo translado dos 462 corpos dos brasileiros heróis ao Brasil.Vieram em caixas individuais de zinco, fechadas em urnas de madeira.

SOLDADO DESCONHECIDO

Uma das urnas de mortos não identificados passou a simbolizar o ‘Soldado Desconhecido’ e foi entregue pelo marechal Mascarenhas de Moraes a Juscelino Kubitschek, presidente da República na época, que a depositou na base do Pórtico Monumental.

CHAI ( VIDA)

A Estrela de Davi está instalada no Mausoléu do subsolo que abriga os túmulos de 467 soldados que tombaram na Itália em 1944/45, e os nomes gravados no mármore de mais de 1400 civis e militares desaparecidos no mar, em consequência da blitz submarina que atingiu 33 navios mercantes nacionais. Apenas em agosto de 1942 seis navios foram torpedeados em quatro dias, desaparecendo no mar 600 patrícios inocentes, quando diante do clamor popular, em 31 de agosto de 1942 o Governo Vargas reconheceu o estado de beligerância com as Potências do Eixo.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome