Juíza determina que Evanio vá a júri popular e permaneça preso

Jaguar que bateu e capotou tinha garrafas de bebidas em seu interior - foto das rede sociais
Jaguar que bateu e capotou tinha garrafas de bebidas em seu interior – foto das rede sociais

O motorista Evanio Prestini irá a júri popular e deverá ficar preso preventivamente até o julgamento, determinou nesta quinta-feira (6) a juíza responsável pelo caso Camila Murara Nicoletti, da Comarca de Gaspar.

“A situação de o acusado ser réu primário, possuir residência e emprego fixos não é suficiente para modificar a necessidade de sua segregação provisória”, alegou a juíza Camila Moura Nicoletti na decisão. A decisão deveria ter sido proferida ainda em maio, mas foi adiado pelo juiz Lenoar Bendini Madalena.

Prestini responde pelos homicídios de Suelen Hedler da Silveira, de 21 anos, e Amanda Grabner Zimmermann, 18 anos, com as qualificadoras de aceitar o risco de cometer o crime e por não oferecer chance de defesa. Ele também foi acusado de três tentativas de homicídio, referente as outras passageiras.

Relembre o caso

No dia 23 de fevereiro, após denúncia não averiguada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Evanio colidiu seu Jaguar com o Fiat Pálio onde estavam as vítimas. Suelen morreu no local e Amanda no hospital durante cirurgia.

Ele teve a prisão preventiva decretada um dia após o acidente e uma medida liminar negada no segundo grau. O MP solicitou ainda que seja submetido ao Tribunal do Júri, e, se condenado pelos crimes, pode ter uma pena superior a 40 anos.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome