STF arquiva inquérito contra Dalírio e Napoleão

O inquérito que investigava supostos repasses irregulares da Odebrecht Ambiental à campanha do ex-prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) em 2012 foi arquivado por decisão da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal.

Em delação premiada na Operação Lava Jato, Paulo Welzel, diretor da Odebrecht, citou o repasse de R$ 500 mil via caixa 2 para a campanha do ex-prefeito. O senador Dalírio Beber (PSDB) era apontado como intermediário.

Segundo manifestação da Procuradoria Geral da República (PGR), não há provas suficientes de que houve crime de caixa 2. Em sua decisão, a ministra Rosa Weber alegou que “mesmo esgotadas as diligências investigativas, não se formou convencimento sobre a ocorrência delitiva”.

Os deputados Décio Lima (PT) e Ana Paula Lima (PT) também são investigados pela mesma suspeita. A candidatura da petista e de Jean Kuhlmann (PSD) também teriam sido beneficiadas com R$ 500 mil, sendo que o inquérito contra o deputado estadual remetido ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região.

Dalírio Beber e Napoleão Bernardes
Dalírio Beber e Napoleão Bernardes

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome