Caminhoneiros alegam que greve não terminou; acordo é rechaçado

O Governo Federal anunciou na noite desta quinta-feira (24) um acordo com entidades para suspensão da greve nacional dos caminhoneiros. Porém, em áudios e vídeos, os trabalhadores rechaçam categoricamente o acordo.

A sensação entre os caminhoneiros é que as negociações não refletem a vontade da categoria. “Eles fizeram o acordo entre eles mesmos. O que estão falando não passa de uma piada”, declarou um caminhoneiro de Indaial, que não quis se identificar.

A mobilização em frente a Segalas, na BR-470 entre Blumenau e Gaspar, continua segundo apuração do Notícias Vale do Itajaí. “Essa paralisação é resultado de pendências anteriores que não estão sendo atendidas. E acumulou junto com aumento absurdo nos combustíveis”, afirmou ao Farol um caminhoneiro que participa deste movimento e que também não se identificou.

Um dos vídeos que está circulando é de José da Fonseca Lopes, da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam). Ele deixou a reunião no Planalto por volta das 15h30 e afirmou que a entidade não aceitava a proposta do governo.

De acordo com José da Fonseca, a principal pauta é a retirada não só do Cide como do PIS/Confis, o que representaria a queda de mais de R$ 0,50 no litro de diesel. A Abcam diz representar 650 mil caminhoneiros.

Durante o anúncio do acordo, os ministros deram a entender que as entidades que aceitaram o acordo ainda vão submeter o acordo aos trabalhadores. Assinaram a proposta de acordo as seguintes entidades:

  • Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA)
  • Confederação Nacional do Transporte (CNT)
  • Federação dos Caminhoneiros Autônomos de Cargas em Geral do Estado de São Paulo (Fetrabens)
  • Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Distrito Federal (Sindicam-DF)
  • Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg)
  • Federação Interestadual dos Transportes Rodoviários Autônomos de Cargas e Bens da Região Nordeste (Fecone)
  • Federação dos Transportadores Autônomos de Cargas do Estado de Minas Gerais (Fetramig)
  • Federação dos Transportadores Autônomos de Carga do Espírito Santo (Fetac-EC)

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome