Sindicato comunicou suspensão de protesto pouco antes do início

Paralisação não aconteceu (Jaime Batista)
Paralisação não aconteceu (Jaime Batista)

Os usuários do transporte coletivo foram surpreendidos mais uma vez nesta quinta-feira (8). A paralisação, que havia sido comunicada para 6h30, não aconteceu. A suspensão foi anunciada apenas às 6h28 na página do sindicato, o Sindetranscol. Novas paralisações não estão descartadas para os próximos dias.


O protesto aconteceria no terminal da Fonte, na região central de Blumenau. Em nota, o sindicato afirmou que suspendeu porque recebeu denúncias de sabotagem que poderiam colocar em risco a integridade física dos trabalhadores e usuários.

“Chamei um Uber minha irmã ir ao trabalho, e quando chegou recebi a notícia da suspensão”, relatou um leitor do Farol que não quis se identificar. Outra leitora já havia se planejado para ir a pé a partir da Fonte, mas a surpresa foi positiva.

As paralisações do sistema tentam forçar a concessionária BluMob a aceitar novos termos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). A categoria quer incluir cláusulas no acordo coletivo que anulem as novas leis do trabalho.

Em nota, a BluMob voltou a dizer que cumpre as obrigações trabalhistas e que teve diversos encontros com o sindicato, mas que nem mesmo a mediação por parte do Tribunal Regional do Trabalho resultou em sucesso. Leia:

A BluMob reitera que diversos encontros com o sindicato dos trabalhadores ocorreram desde novembro de 2017 na tentativa de negociação da nova convenção coletiva. Nem mesmo a mediação por parte do Tribunal Regional do Trabalho resultou em sucesso nas negociações, dadas as exigências que têm sido impostas. Assim, a afirmação de que não houve negociação é uma inverdade.

Importante mencionar que tanto a empresa quanto o sindicato já se manifestaram no processo de dissídio, apresentando suas respectivas razões e, assim, compete à Justiça a definição de um novo instrumento coletivo que deverá ser cumprido.

As obrigações trabalhistas, em especial os salários e benefícios, têm sido pagas e respeitadas rigorosamente e, para evitar perdas aos colaboradores, a empresa já adiantou a correção de todos pela inflação.

Cabendo então à Justiça o julgamento, perdem total sentido as paralisações promovidas pelo sindicato, já que causam tantos transtornos aos usuários do transporte coletivo e à cidade de Blumenau. O transporte coletivo é essencial e exige que as decisões que o afetam sejam tomadas com responsabilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here