Justiça solta jovem que matou o pai alegando legítima defesa

Alex Sandro Floriano foi posto em liberdade pela Justiça (Polícia Civil)

O jovem que matou o próprio pai alegando legítima defesa recebeu o direito de responder o crime em liberdade. O homicídio aconteceu na quarta-feira (12) e a decisão do Tribunal de Justiça foi publicada ontem.


O juiz Juliano Rafael Bogo, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, negou o pedido do Ministério Público de conversão da prisão em flagrante de Alex Sandro Floriano para preventiva. Segundo o magistrado, ele pode responder em liberdade por não representar risco a sociedade, visto que não tem passagens pela polícia e aguardou a chegada da viatura na cena do crime assumindo a culpa.

De acordo com o documento, ele deve comparecer a todos os atos do processo e não pode se ausentar por mais de 30 dias de seu endereço sem autorização. O magistrado também determinou um exame no Instituto Geral de Perícias (IGP) ao mencionar um arranhão no rosto causado pela vítima durante o crime.

Apesar de poder responder ao crime em liberdade, Alex deverá ser submetido ao júri popular que decidirá pela condenação por homicídio doloso ou pela absolvição por legítima defesa, própria ou de sua mãe.

Relembre o caso

Alex Sandro Floriano, de 20 anos, alegou em depoimento que o pai, Amaurildo Floriano, de 49 anos, era usuários de drogas e costumava fazer ameças, além de agredir a esposa. Já havia um boletim de ocorrência por violência doméstica.

O jovem afirmou que o pai chegou residência da família, localizada na Rua José Osni Assink, bairro Progresso, e proferiu ameças contra ele e sua mãe segurando um facão. Foi quando Alex usou uma barra de ferro para ataca-lo na cabeça.

Uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) ainda foi ao local para tentar socorrer o homem, mas já estava sem sinais vitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here