ATÉ QUANDO?

Neste ano de 2016, houveram 1274 ataques terroristas islâmicos em 50 países diferentes. Na França tem acontecido quase todos os meses. Nos últimos 18 meses, mais pessoas morreram em ataques terroristas na França do que nos últimos 50 anos.

SEM CONSTRANGIMENTO: Foto de capa no facebook do terrorista islâmico, autor do massacre em Nice-França.
SEM CONSTRANGIMENTO: Foto de capa no
Facebook do terrorista islâmico, autor do
 massacre em Nice-França.

Em vez da imprensa politicamente correta se esconder atrás dos “erros de interpretação”, deveria refletir nas vidas destruídas, nestes atos de terror deliberado. É evidente que a vitimização dos algozes é defendido por muitos universitários e auto-intitulados professores em muitas universidades mundo afora.

TURQUIA: DESDOBRAMENTOS IMPREVISÍVEIS

Se você acha que a democracia venceu na Turquia, você está errado. O presidente Recep Tayyip Erdogan retomou o controle ditatorial de seu sultanato (15 anos no poder) e manterá o Estado com sua agenda islâmica. O levante sufocado destes homens que estavam lutando pela liberdade da nação terá desdobramentos imprevisíveis para o continente europeu.

NICE/FRANÇA -Promenade des Anglais, 14 de julho de 2016: 84 mortos.
NICE/FRANÇA -Promenade des Anglais, 14 de julho de 2016: 84 mortos.

A Turquia, sob controle de Erdogan não contribuirá no combate ao terrorismo islâmico. Lembremos que em novembro de 2015 foi derrubado um caça-bombardeiro russo por forças turcas na Síria. O presidente Vladimir Putin declarou que foi uma facada nas costas vindo do “aliado” turco.

ISRAEL E OS POLÍTICOS QUE EMUDECERAM-SE

Os sinais do terrorismo islâmico são bem claros. A todos aqueles dirigentes europeus, que ignoraram ver o óbvio e que agora receiam manter seus mandatos devem assumir todas as responsabilidades por sua inércia, a qual, quanto mais se prolonga, mais vai configurando-se como cumplicidade com o terrorismo.

Quando por diversas vezes se destacava que os ataques contra Israel por parte do terrorismo islâmico chegariam a Europa, muitos dirigentes políticos emudeceram-se. Se todos fossem, sem hesitações a favor do direito do estado de Israel e do seu povo (defendendo-se com todos os meios), em vez de dizer, como fazem os bem pensantes do politicamente correto, que o que estava acontecendo em Israel era peculiar a sua realidade, que as responsabilidades eram dos governos israelitas e que aquilo que sofriam os judeus não era terrorismo, talvez a Europa, os EUA e o resto do mundo não se encontrariam agora sofrendo com estes atentados terroristas de matriz islâmica.

O ÓBVIO

Os ataques islâmicos, que, nos últimos anos é alvo a França, são o fruto podre de um relativismo cultural levado ao sistema político.

Quem nega a evidência, não pode ser considerado nem ingênuo nem ignorante mas só cúmplice.

ALGUMAS DAS 84 VÍTIMAS ASSASSINADAS EM NICE/FRANÇA

03

04

INEFICAZ

A União Européia é composta por 27 países incapazes de defender seus cidadãos contra o terrorismo. A reação dos líderes europeus é ineficaz numa mobilização continental que possa fazer frente
ao terrorismo islâmico.

2 Comentários

  1. Excelente, prof. Sérgio Canpregher. A mídia tem por obrigação de expor viceramente todos atos de TERRORISMO, sem que haja a ocultação das barbáries; que mostre explicitamente essa nova modalidade insana, nunca vista.
    Até quando, o mundo vai ficar inerte a esse fato que está se tornado rotineiro? Basta!!

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome