Vantagens e desvantagens de ficar na zona do Euro

A Grécia pode deixar a zona do Euro nos próximos dias. Em plebiscito realizado no último domingo, a maioria da população grega votou pelo fim das medidas de austeridade impostas pelas lideranças europeias.

Apesar de parecer uma tragédia (por ironia, uma tragédia grega), deixar a zona do Euro não é exatamente uma desvantagem. Pelo contrário, para países como a Grécia pode até proporcionar uma melhora nos próximos anos.

Confira abaixo as vantagens e desvantagens para a Grécia se continuar ou não na zona do Euro.

Permanência ou não?

Por que permanecer na zona do Euro

Diplomacia. Os países que formam uma aliança econômica internacional têm menores chances de iniciarem uma guerra. Por possuírem diversos acordos econômicos, os países precisam o tempo todo evitar conflitos para não se prejudicarem financeiramente.

Na Europa, os países que integram a zona do Euro realizam periodicamente reuniões para discutir o papel de cada uma das nações. Em caso de divergências, o grupo mais forte impõe sansões aos mais fracos com o objetivo de disciplinar e mostrar a importância de cumprir os acordos estabelecidos.

Para a Grécia, foi determinado o cumprimento de medidas de austeridade, o que é impopular e difícil para um país, embora necessário para reorganizar as contas. A permanência do país na zona do Euro é importante principalmente para as relações internacionais com os próprios europeus. No entanto, por pressão popular, a Grécia está com dificuldades para manter as políticas impostas.

Investimentos. Os acordos e diplomacia entre os países que pertencem à zona do Euro permitem que os negócios econômicos entre eles sejam mais fáceis. Assim, cada uma dessas nações consegue atrair mais investimentos do exterior e desenvolver a economia local, já que possuem uma moeda e política monetária extremamente estável.

Portanto, a saída da Grécia da zona do Euro ocasionaria a queda de investimentos vindos dos países europeus. Como a Europa é a principal fonte de investimentos dos gregos, seria uma perda terrível. Porém, a confiança dos investidores no país já está em baixa por conta do atual cenário e pouca coisa mudaria com a Grécia permanecendo na zona do Euro.

Por que sair da zona do Euro

Política monetária. Uma política monetária internacional elimina a autonomia de cada país para se ajustar conforme suas necessidades. As nações da zona do Euro precisam obedecer às regras dos países com mais poder econômico sobre a moeda, o que muitas vezes desfavorece a economia interna de cada país.

A falta de compatibilidade entre a política monetária e a política fiscal interna foi um dos fatores que mais contribuiu para a crise grega. Em resumo, as contas públicas da Grécia cresceram mais do que deveriam. Agora, o país tem em mãos apenas as medidas fiscais para se ajustar, já que as monetárias são controladas por outros países.

Neste caso, com uma política monetária própria, a Grécia teria mais autonomia para controlar sua economia, podendo valorizar ou desvalorizar sua moeda conforme suas necessidades. A política monetária própria também permitiria mais governabilidade aos gregos.

Governabilidade. Com menos dependência e interferência de outros países para administrar suas políticas econômicas, a governabilidade do Estado grego cresceria. A autonomia proporcionaria mais facilidade para tomar as decisões internas e desenvolver o país conforme suas particularidades.

O governo precisaria reorganizar suas finanças de qualquer forma. Com mais poder sobre sua economia, os reajustes seriam mais fáceis e, talvez, aparentariam ser menos impopulares.

Moeda. Fora da zona do Euro a Grécia poderia ter uma moeda menos valorizada. Como o turismo é o grande impulsionador da economia grega, sendo responsável por 15% do PIB nacional, uma moeda desvalorizada atrairia ainda mais visitantes para o país.

Uma moeda fraca também iria contribuir para estimular as exportações e até atrair, a médio ou longo prazo, financiadores internacionais. Aos poucos, o país reestabeleceria sua confiança no exterior e se desenvolveria de maneira menos dolorosa.

O melhor caminho

É claro que, deixando ou não a zona do Euro, a Grécia precisa reorganizar suas contas e melhorar sua conjuntura interna. Um governo que gasta mais do que arrecada jamais vai conseguir fechar suas contas. Portanto, as medidas de austeridade são necessárias e precisam ser adotadas pela Grécia. O único problema é decidir sobre qual é o melhor plano para se reorganizar.

A Grécia teria mais autonomia e controle sobre sua economia com a saída da zona do Euro. Com uma boa estratégia e disciplina para se reorganizar, abandonar os parceiros europeus seria uma das melhores opções para o país, já que poderia se estruturar sem pressão e conforme suas necessidades.

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não acho que a Grécia mereça nova chance, porque com novos empréstimos, o país além das dívidas que já tem não tem sentido ter mais uma. saí da zona do euro e seja independente para tomar as medidas necessária sem ter que sofrer austeridade de outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here