Pizzolatti nega nova denúncia de corrupção, agora da Petrobras

O ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, aceitou recentemente a delatar um gigantesco esquema de corrupção dentro da maior estatal brasileira. A edição 2390 deste final de semana da revista Veja trouxe nomes de alguns dos políticos denunciados, entre eles está o catarinense João Pizzolatti (PP).

O parlamentar catarinense lançou nota à imprensa neste sábado (06) afirmando que “NEGA, DE FORMA VEEMENTE, a prática de qualquer ato ilícito ao longo de sua vida pública”. Ela também diz que não há nenhuma comprovação de corrupção e afirma que não tem “conhecimento da existência de absolutamente nenhum depoimento do Sr.Paulo Roberto Costa que possa ter envolvido o seu nome.”

Pizolatti (Lucio Bernardo Jr. / CD)
João Pizolatti (Lucio Bernardo Jr. / CD)

Costa afirmou em depoimento que os políticos denunciados ficavam com 3% do valor dos contratos da Petrobras no período em que foi diretor da estatal, entre os anos de 2004 e 2012. O objetivo do escândalo seria manter a “lealdade” dos políticos ao governo.

Pizzolati é presidente interino do Partido Progressista e teve a candidatura para deputado federal barrado pelo Supremo Tribunal Federal por ser ficha suja.

Em maio ele também apareceu em outra reportagem onde um empresário delatou um esquema criminoso de lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef, que lavou cerca de R$ 10 bilhões em quatro anos. “O Janene distribuía dinheiro para políticos em sua Mansão […] Pizolatti (PP) estava sempre lá”, afirmou Hermes Magnus. Pizzolatti não respondeu ao Farol.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome